29 de dez. de 2013

Pierre Januário faz previsões de um ano favorável aos negócios por conta da Copa do Mundo e eleições

Dois eventos marcados para 2014 – Copa do Mundo e eleições para presidente e governadores – vão favorecer, consideravelmente, as empresas de um modo geral, mas principalmente as de construção e prestação de serviços. A análise é do administrador de empresas Pierre Januário, proprietário da i3 Projetos e sócio da Investor, para quem a necessidade de concluir ou iniciar obras de infraestrutura fará com que os governos da União e dos estados invistam com capacidade máxima, até como forma de sensibilizar o eleitorado, já que a maioria dos governantes vai estar em palanque em busca de reeleição ou de um novo mandato.
A campanha eleitoral, mesmo com a possibilidade de um impedimento de patrocínio pelas empresas, sempre oferece muitas oportunidades de contratos. As empresas que mais se beneficiam deste período são as agências de publicidade, que mobilizam vários segmentos para atender a clientela: gráficas, malharias, empresas de sonorização, transporte e outras.
Em nível de Maranhão, Pierre Januário destaca que o governo local dispõe de R$ 3,8 bilhões, obtidos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para aplicar em 2014, portanto até metade do ano, quando começam as limitações de gastos governamentais, a previsão é de que muitos contratos serão assinados. Mas ele destaca também que outras obras já foram iniciadas e precisão estar concluídas em 2014, o que é uma garantia de que não haverá processo de descontinuidade.

VeículosO consultor analisa ainda que no setor automotivo um dos segmentos que terão maior crescimento é o de seminovos, pois a tendência é um aumento no valor do carro novo, influenciado por dois fatores: a volta da alíquota normal do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e as exigências de que todos os veículos terão de vir equipados com air bag e freios ABS, ou seja, uma elevação no custo de fabricação que certamente vai ser repassado para o consumidor final.
Com a aplicação dessas novas exigências, o estoque produzido até a adoção dessas normas vai estar muito procurado, por quem tenciona, mesmo sabendo as desvantagens de segurança, adquirir um auto com preços mais em conta. As revendas de veículos usados, por sua vez, também serão muito demandadas, já que terão como vender um veículo em condições parecidas às dos com os novos equipamentos por um preço bem menor.

CenárioPierre Januário diz que pensa muito diferente daqueles que traçam um cenário negativo para o país, pois, segundo ele há indicadores de que a economia vai se aquecer. Ele diz que no setor da construção civil, por exemplo, os novos contratos pelo Minha Casa, Minha Vida vão injetar mais dinheiro no mercado, com contratação de pessoal e aquisição de material (tijolos, cimento, material de acabamento, madeira etc). Ele não vislumbra um cenário tão otimista para as construtoras focadas nas camadas A e B, pois estas ainda precisam baixar seus preços até para se livrar do alto estoque de moradias por comercializar.

Quanto ao setor de alimentos, diz que este é um dos maiores tendências de crescimento, com o aumento da procura por supermercados, restaurantes, lanchonetes e outros, tanto pela população local quanto pelos turistas que virão para a Copa do Mundo.

Nenhum comentário: