5 de dez de 2014

Flávio Dino garante que ninguém vai enriquecer com dinheiro público durante o seu governo

Flávio Dino disse que não tolerará atos de corrupção em seu governo
Ao participar nesta quinta-feira (04) de um encontro com a classe empresarial, na Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), o governador eleito, Flávio Dino (PCdoB), disse que ninguém vai sair do seu governo milionário. "Quem entrou milionário vai sair milionário, quem entrou sem ser rico vai sair do jeito que entrou", disse ele, ao dar tolerância zero à corrupção. Ele fez questão de frisar que não tem nada contra a riqueza de ninguém, porém sente alergia a enriquecimento com dinheiro público, portanto a recomendação dada aos seus auxiliares é de trabalhar com o máximo de transparência.
No encontro, em que foi formalizada a criação do Conselho de Desenvolvimento Empresarial, a ser instalado dia 05 de janeiro, Flávio Dino elegeu cinco prioridades com base na carta recebida dos empresários em setembro, quando participou de um debate com o então adversário Lobão Filho (PMDB). São elas:
1 - Agilidade e transparência total na expedição de licenças ambientais, que têm sido uma as maiores exigências dos empresários. E citou a Operação Ferro e Fogo, da Polícia Federal, em que foram presos, esta semana, servidores estaduais e federais envolvidos em crimes ambientais como algo que não pode ocorrer no seu governo;
2 - Elaboração do Zoneamento Econômico e Ecológico, uma das promessas mais antigas que conhece e que comparou às novelas de Janete Clair nos anos 1970, que chegavam a ter 370 capítulos;
3 - Aproximação dos empresários do Porto do Itaqui, a fim de que possa ter uma maior utilização pelos exportadores e importadores locais;
4 - Conservação imediara das rodovias estaduais,  a fim de que não fiquem intrafegáveis com a aproximação da temporada chuvosa;
5 - Ação policial para garantir a segurança da população. Sem especificar como, disse que a partir do dia 2 começam as operações para controlar as ações dos bandidos.
Em nome da classe empresarial falou o presidente da Fiema, Edilson Baldez, que disse: “Nós empresários queremos ajudar a defiunir os rumos que o Maranhão tomará a partir de janeiro. Desejamos contribuir para a criação de um ambiente ainda mais favorável para os negócios, para abertura de novos empregos e para geração e distribuição de renda para o povo maranhense”. Também participaram da reunião dirigentes da Associação Comercial do Maranhão, Federação da Agricultura, Federação do Comércio e Câmara dos Dirigentes Lojistas de São Luís.

Nenhum comentário: