21 de abr de 2015

CBF quer acabar com jogos às 10h da noite às quarta-feiras, mas precisa negociar com Rede Globo de Televisão

Assunto que já foi motivo até de uma lei aprovada pela Câmara Municipal de São Paulo, mas não sancionada pelo Poder Executivo, o horário das partidas de futebol às quartas-feiras poderá ser mudado pela CBF. Esta, pelo menos, é a intenção do novo presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, que assumiu a presidência na última quinta-feira (17), e pretende abrir uma negociação com a Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão para flexibilizar o horário. "Os jogos às 22 horas de quarta-feira não agradam mais o torcedor e, por isso, vai negociar com a emissora para acharem uma alternativa", disse ele.
De acordo com notícia postada no site da ESPN, o cartola disse que a TV nunca fez nenhuma exigência de nada e o relacionamento permite que mudanças sejam discutidas.  "Olha, com a Globo, pelo menos em São Paulo, ela nunca nos exigiu nada. Nada mesmo. A gente manda a nossa programação, ela nos pede alguns ajustes e nós devolvemos com o que podemos mexer. Mas não há exigência", afirmou Del Nero, em entrevista exclusiva para o ESPN.com.br.
"Lá atrás, o horário das 22 horas era o melhor para o torcedor, a gente tinha estatísticas nesse sentido. Mas hoje isso mudou. Esse horário já não é mais o melhor. Então, se não é o melhor, vamos tentar mudar com a Rede Globo. Temos que discutir esse problema. [Tem que ser] Um horário que o torcedor goste. Das 21h30, por exemplo. Até 21h30 eu acho que já ajuda", completou. Ele ainda revelou que gostou do horário das 11 horas do domingo, em que o Palmeiras atuou duas vezes em São Paulo, por conta dos protestos contra Dilma Rousseff. "11h da manhã do domingo virou um sucesso de público. Então, por que não repetir?", completou.
(com dados da ESPN)

Nenhum comentário: