1 de abr de 2015

Jovem assassinado na Rua Rio Branco não é aluno do Instituto Florence, segundo o estabelecimento de ensino

O jovem Rafael Serra Santos, de 27 anos, assassinado na manhã desta quarta-feira (1º de abril), na Rua Rio Branco, não é aluno de Odontologia do Instituto Florence, segundo informou a instituição de ensino, o que foi confirmado por familiares da vítima que afirmam que Rafael, na verdade, estava se dirigindo a um consultório médico. Ele foi assassinado por volta das 08h, na Rua Rio Branco (Centro), a poucos metros do estabelecimento de ensino, quando foi assaltado por dois rapazes de menor idade.
Rafael dirigia-se da Praça Deodoro em direção ao Florence, portando uma mochila, quando nas proximidades da Praça Odorico Mendes foi abordado pelo dois menores que pediram o seu telefone celular. Ele reagiu ao assalto e ainda chegou a dar tapas num dos assaltantes que tentava agredi-lo, mas o outro puxou a arma e o atingiu com o tiro no rosto. Alunos do instituto teriam afirmado ao repórter Domingos Ribeiro, da Mirante AM, que deu a notícia em primeira mão, que ele era aluno do Florence, mas depois verificou-se que não.
O assassinato causou revolta entre as pessoas que passavam pelo local e colegas de aula da vítima. Segundo uma estudante do Instituto, os assaltos são frequentes naquele local e a maioria deles é praticada por menores infratores. Os dois que mataram Rafael ainda têm aparência de garotos, franzinos, mas já portando arma de fogo. Os assaltos são comuns principalmente porque a esta hora do dia não há nenhuma viatura da polícia ou mesmo soldados a pé circulando pela área para inibir os bandidos.
O crime choca mais ainda porque ele ocorre poucas horas depois de a Câmara Federal ter aprovado, na Comissão de Constituição e Justiça, parecer favorável a um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que reduz, de 18 para 16 anos, a maior idade penal. Pelo menos dois deputados maranhenses que integram a comissão - Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Eliziane Gama (PPS), que quer ser prefeita de São Luís - se manifestaram contra a redução. O projeto tramita há mais de vinte anos e somente agora os parlamentares tiveram coragem de apreciá-lo.  O primeiro passo foi dado, portanto, nesta terça-feira (31 de março), mas ainda será analisado por uma comissão especial e depois irá ao plenário. Se aprovado vai ao Senado, de onde seguirá para sanção presidencial se também for aprovado nesta casa legislativa.

Um comentário:

Pau de Selfie disse...

http://www.cartacapital.com.br/politica/reducao-da-maioridade-penal-e-aprovada-na-ccj-7975.html

Mentira!

Rubens Pereira Júnior não estava presente. Eliziane Gama não faz parte da comissão. Os deputados Juscelino Filho e André Fufuca votaram a favor da admissibilidade da PEC.