12 de abr de 2015

José Sarney imita Eduardo Campos e diz em seu artigo desde domingo que "não vamos desistir do Maranhão"

O ex-senador José Sarney (PMDB-AP) voltou a mirar sua pena para o Maranhão ao redigir o artigo que foi publicado em seu jornal, O Estado do Maranhão, neste domingo (12), sob o título O Feijão e o Senhor, nome de um livro do escritor Orígenes Lessa, de quem Sarney ganhou a eleição para a Academia Maranhense de Letras (ABL).

Na mesma linha da crônica do domingo anterior, Sarney lembra que "já fecharam a fábrica de alumínio da Alcoa, a gueseria de Rosário (na verdade, de Bacabeira, a Margusa), as guserias de Açailândia", para concluir que a passividade diante destes fatos é um retrocesso, é andar para trás, é a recessão, "é voltar à caveira de burro".
Imitando Eduardo Campos (PSB), que na noite anterior à sua morte, numa entrevista ao Jornal Nacional, ao falar dos seus planos para presidente, disse que "não vamos desistir do Brasil", Sarney diz que "não vamos desistir do Maranhão" e ficar como estátua de sal, jogando pedra no passado como se isso fosse solução, e aí conclui: "Vamos reunir pedras para construir e não para jogá-las como bolas de fogo do ressentimento e do ódio".

Nenhum comentário: