13 de jul de 2015

Conab dispõe de 45 mil toneladas de feijão para serem doadas a prefeituras de todo o País

GIRO ECONÔMICO

Os municípios que quiserem receber feijão dos estoques do governo federal, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em benefício de comunidades carentes, devem preencher o Pedido de Doação de Alimentos (PDA) que está na página eletrônica da Conab e entregar na superintendência regional do estado correspondente.O produto deve ser destinado a entidades e organizações integrantes da rede socioassistencial, equipamentos de alimentação e nutrição como restaurantes comunitários e cozinhas populares, e ainda para a rede pública de saúde, educação e segurança. A medida que libera o produto, está no Decreto nº 8.481, publicado ontem (8) no Diário Oficial da União, e permite que sejam doadas até 45 mil toneladas de feijão dos estoques públicos administrados pela Companhia. O produto localizado em armazéns localizados nos estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

A retirada e o transporte do produto das unidades armazenadoras da Conab são de responsabilidade dos municípios, que podem fazer isso diretamente ou por meio de terceiros autorizados. A Conab vai publicar, a cada três meses, a quantidade de feijão distribuído e a relação dos atendidos pela ação.

Abav - Uma semana após abrir o credenciamento para profissionais do setor, a Abav - Expo Internacional de Turismo já contabiliza mais de mil inscritos. Agentes de viagens não associados podem inscrever-se, gratuitamente, até dia 31 de julho. Na feira, o ingresso terá um custo de R$ 60. Este ano em sua 43ª edição, e mais uma vez contando com a parceria da Braztoa na realização do seu 44º Encontro Comercial, a Abav será realizada de 24 a 26 de setembro, no Parque de Exposição Anhembi, em São Paulo.

Marinha - Foi aprovado quarta-feira (8), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Projeto de Lei nº 342/20115 que isenta moradores de terrenos de marinha situados em área urbana reconhecida por lei municipal do pagamento de foro, taxa de ocupação e laudêmio. O projeto resolve em definitivo a questão e põe fim a uma angústia muito grande dos moradores de cidades como São Luís, que por ser ilha, tem grande parte da sua área ocupada em terrenos de marinha, segundo o senador Roberto Rocha, relator. 

Horário da ACM - A partir desta semana, a Associação Comercial do Maranhão passa a funcionar em horário diferente, que passará a ser de 08h às 12h:00 e das 13h às 18h, de segunda a quinta-feira, e de 08h às 12h e de 13h às 17h, às sextas-feiras. 






O diretor geral da Agência de Defesa Agropecuária (Aged), Sebastião Anchieta (C), no registro com o secretário Márcio Honaiser (Sagrima), deve anunciar esta semana o balanço da vacinação contra febre aftosa



Kassab - A passagem do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, por São Luís, na semana passada, deu o que falar. Primeiro porque anunciou novos investimentos pelo Minha Casa Minha Vida sem ter tido a delicadeza de pelo menos reunir as lideranças do setor de construção civil para falar dessas intenções e acertar conta sobre o que está em atraso. No campo político, coube ao senador Roberto Rocha (PSB) reclamar a falta de pelo menos um comunicado aos senadores de que estaria no Estado.

Curiosidade - A lei sancionada pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior que prevê a instalação de leitor de preços com emissão de áudio para orientar os deficientes visuais em supermercados tem uma curiosidade. De acordo com o texto elaborado pelo autor da matéria, vereador Josué Pinheiro, cada loja terá no mínimo um equipamento e ele deverá ficar em lugar de fácil visibilidade. Ora, se quem vai usar não enxerga como saberá se estará no lugar mais visível? Alguém poderia ter orientado o prefeito a pedir nova redação.

Nenhum comentário: