17 de jul de 2015

Dilma tem a mais baixa avaliação entre os presidentes de países americanos, segundo instituto mexicano



A presidente Dilma Rousseff é a líder política mais mal avaliada da América, segundo o instituto mexicano Consulta Mitofsky. Danilo Medina (República Dominicana) e Evo Morales (Bolívia) ficaram em primeiro e em segundo lugar, com 89% e 75% de aprovação da população, respectivamente. A petista aparece na 21ª posição, com apenas 10% de aceitação pública.

Dilma perde para o venezuelano Nicolás Maduro (17ª posição, com 26%) e para o cubano Raúl Castro (7ª posição, com 47%). O norte-americano Barack Obama ocupa a 10ª colocação, com 46%, à frente da argentina Cristina Kirchner (11º lugar, com 40%) e do mexicano Enrique Peña Nieto (12º lugar, com 39%). Os cinco melhores colocados, além de Medina e Morales, são o panamenho Juan Carlos Varela (3º lugar, com 63%), o equatoriano Rafael Correa (4º lugar, com 61%) e o nicaraguense Daniel Ortega (5º lugar, com 57%). Na outra ponta, além de Dilma, aparecem o peruano Ollanta Humala (20ª posição, com 17%) e o costarriquenho Luis Guillermo Solis (19ª posição, com 20%).

De acordo com o instituto, que analisa o estado de ânimo e as percepções da população, a média de aprovação na América caiu sete pontos percentuais e passou de 49% para 42%, atingindo a menor nível em uma década. A rejeição à presidente Dilma Rousseff aumentou ainda mais no fim de junho em um quadro de inflação alta, fraqueza na atividade econômica e desemprego crescente, mostrou a pesquisa brasileira CNI (Confederação Nacional da Indústria)/Ibope.

A avaliação ruim/péssima foi a 68% no fim de junho, ante 64% em março. A pesquisa, contratada pela CNI, apontou ainda que apenas 9% avaliam o governo como ótimo ou bom, ante 12% três meses antes. A desaprovação da maneira de governar da presidente também aumentou, passando para 83%, ante 78%, enquanto a aprovação foi a 15%, ante 19%.

A pesquisa foi realizada entre 18 e 21 de junho, com 2.002 pessoas em 141 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.
(Band)


Nenhum comentário: