2 de set de 2015

Andrea Murad diz que vai ensinar Flávio Dino a ler planilhas, mas denúncia é rebatida por Othelino Neto

A deputada Andrea Murad (PMDB) enviou ao governador Flávio Dino (PCdoB) a lista de obras, com informações detalhadas de cada Secretaria, empresa contratada e município de destino, das obras financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que estariam paralisadas no Maranhão. O deputado Othelino Neto (PCdoB) rebate as informações, afirmando que as obras estão em andamento sim e que só foram paradas nos casos em que apresentaram irregularidades graves, a construtora abandonou os serviços ou faliu, não havia projetos ou licenças.
Numa fala contundente, a deputada Andrea Murad disse que o governador não sabe nem a quantidade de obras financiadas pelo BNDES. "Encaminhei para ele a relação das obras, agora já tem a planilha em mãos, vai aprender a ler a planilha, vai entender e vai ter que nos dar uma satisfação". 
Segundo ela, são 37 obras da Caema, 45 da Saúde, 08 da Funac, 159 da Secretaria de Desenvolvimento Social, 43 da Segurança Pública, 9 da Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária, 270 da Secretaria de Infraestrutura, 110 da Secretaria de Educação, 04 da Secretaria de Indústria e Comércio", disse Andrea Murad.

Em defesa do governador, Othelino Neto disse que o governo anterior deu calote nas empresas contratadas para essas. "A do hospital de Pinheiro, por exemplo, a empresa foi notificada três vezes para cumprir o contrato e terminar a obra para poder inaugurá-la”. Segundo Othelino, a impressão que dá é a de que o grupo Sarney, que ficou no poder até 31 de dezembro passado, esqueceu-se do que fez e do que não realizou. Ele lembrou que o Maranhão arriscou ter que devolver vários milhões de reais por conta de obras realizadas sem autorização do BNDES.
“Estou dando um exemplo da falta da licença ambiental, mas tem diversos outros documentos que não estavam lá. Não tinha, por exemplo, autorização para uso da água. Ora, um hospital que estava praticamente pronto, está sem esses documentos todos e o governo do Estado foi intimado, notificado a se manifestar e a corrigir essas irregularidades”, disse. Ele criticou o governo Roseana Sarney, que assumiu o compromisso de entregar 72 hospitais e não o fez. Segundo Othelino, vários dos que foram inaugurados, foram fechados após as fotos oficiais e os equipamentos levados para outro hospital, onde faziam um outro “teatro”.

Nenhum comentário: