26 de nov de 2015

João Alberto e Roberto Rocha votam contra prisão de Delcídio do Amaral, pela PF, e Edison Lobão se abstém

Roberto Rocha manifestou contra a decisão do STF para prisão de Delcídio
Se dependesse apenas da bancada maranhense no Senado, o Supremo Tribunal Federal (STF) teria de revogar a prisão do líder do Governo, Delcídio do Amaral (PT-MS), acusado de ter elaborado um plano de fuga para o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, em troca da sua não delação premiada. Ele foi preso nesta quarta-feira (25), pela Polícia Federal, a pedido do Ministério Público Federal, com autorização do STF, sob acusação de vir atrapalhando as investigações da Operação Lava Jato.

A prisão do senador petista foi o único tema tratado pelos senadores na sessão desta quarta-feira, pois a eles caberia ratificar ou modificar a decisão do Supremo. Da bancada maranhense, se posicionaram contra a prisão os senadores João Alberto de Souza (PMDB) e Roberto Rocha (PSB), enquanto Edison Lobão (PMDB), que também é alvo das investigações da Lavo Jato, optou pela abstenção.

João Alberto votou contra a prisão do senador petista
Além de João Alberto e Roberto Rocha, onze senadores também seguiram esta orientação, a maioria do PT. São eles: Fernando Collor (PTB-AL), Regina Souza (PT-PI), Paulo Rocha (PT-PA), Lindbergh Farias (PT-RJ), José Pimentel (PT-CE), Jorge Viana (PT-AC), Humberto Costa (PT-PE), Gleise Hoffmann (PT-SC), Donizeti Nogueira (PT-TO), Ângela Portela (PT-RR) e Telmário Mota (PDT-RR). O presidente, Renan Calheiros (PMDB-AL) também não votou, por ser voto de minerva, ou seja, só em caso de empate se manifesta.

Votaram pelo Sim: Davi Alcolumbre (DEM -AP), José Agripino ( DEM-RN), Ricardo Franco (DEM -SE), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Acir Gurgacz (PDT-RO), Cristovam Buarque (PDT-DF), Lasier Martins (PDT-RS), Reguffe (PDT-DF), Dário Berger (PMDB-SC), Eunício Oliveira (PMDB-CE), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), Jader Barbalho (PMDB-PA), José Maranhão (PMDB-PB), Marta Suplicy ( PMDB-SP0, Raimundo Lira (PMDB-PB), Ricardo Ferraço (PMDB-ES), Roberto Requião (PMDB-PR), Romero Jucá ( PMDB-RR), Rose de Freitas (PMDB-ES), Sandra Braga (PMDB-AM), Simone Tebet (PMDB-MS), Valdir Raupp ( PMDB-RO), Waldemir Moka (PMDB-MS), Ana Amélia (PP-RS), Ivaso Cassol (PP-RO), Wilder Morais (PP-GO), Benedito Lira (PP-AL), José Medeiros (PPS-MT), Blairo Maggi (PR-MT), Magno Malta (PR-ES), Vicentino Alves (PR-TO), Marcelo Crivella (PRB-RJ),Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), João Capiberibe (PSB-AP), Lídice da Mata (PSB-BA), Lúcia Viana (PSB-GO), Romário (PSB-RJ), Eduardo Amorin (PSC-PE), Hélio José (PSD-DF), Omar Aziz (PSD-AM), Otto Alencar (PSD-BA), Sérgio Poteção (PSD-AC), Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Álvaro Dias (PSDB-PR), Antônio Anastasia (PSDB-MG), Ataídes Oliveira (PSDB-TO), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Dalírio Beber (PSDB-SC), Flexa Ribeiro (PSDB-PA), José Serra (PSDB-SP), Paulo Bauer (PSDB-SC), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Paulo Paim (PT-RS), Walter Pinheiro (PT-BA), Douglas Cintra (PTB-PE), Elmano Férrer (PTB-PI) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Ausentes estiveram Nogueira (PP-PI), Gladson Cameli (PP-AC), Wellington Fagundes (PR-MT) e Fátima Bezerra (PT-RN).

Nenhum comentário: