8 de dez de 2015

Com "a cabeça já pelas tabelas", Chico Buarque diz que impeachment é golpe. "Quem te viu, quem te vê!"

A página Golpe Nunca Mais, no Facebook, criada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) e outros aliados políticos do Governo Federal contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff destaca a adesão do cantor e compositor Chico Buarque de Holanda ao movimento contra o golpe. Mas que golpe, se o que está em jogo é previsto na Constituição?

Como admirador, mais do compositor do que do cantor, e nem um pouco simpatizante de suas adesões políticas, faço aqui minhas observações sobre esta postura daquele que, pelas suas canções, já embalou sonhos de muitas gerações:

"O que será que será" que deu em você? "Meu caro, me perdoe, por favor", mas parece que você já anda "com a cabeça pelas tabelas", pois não consegue interpretar o sentimento do povo na rua "vestido de blusa amarela". Pelo que percebo, "você vai resistir, mas vai se acostumar".

Tudo bem, mas "apesar de você, amanhã há ser outro dia" e "eu pergunto a você, onde vai se esconder da enorme euforia? Você vai se amargar vendo o dia raiar sem lhe pedir licença", Chico, pois hoje, "mesmo calada a boca, resta o peito. Silêncio na cidade não se escuta", diante de "tanta mentira, tanta força bruta". Sem falar que hoje em dia "o que dá de malandro regular, profissional, malandro com aparato de malandro oficial...malandro com contrato, com gravata e capital", é algo impressionante.

Mas "vai passar", os brasileiros vão virar esta página em que " dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações".

Para fnalizar, "quem te viu, quem te vê... Quem jamais esquece não pode reconhecer".

Nenhum comentário: