17 de dez de 2015

Deputado comunista Fernando Furtado desdenha de entidade internacional que o elegeu o Racista do Ano

O deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB) desdenhou na tarde desta quinta-feira (17) da Survival International, organização que o elegeu O Racista do Ano, pelos pronunciamentos proferidos em julho deste ano contra os povos indígenas. Indagado sobre como recebeu a nada honrosa distinção, Furtado (foto) disse que "os americanos precisam se preocupar mais como os estragos que já criaram no Mundo inteiro, principalmente nos países árabes".

Para ele, essa polêmica o envolvendo com indígenas já seria um fato superado "e ninguém vai dizer o que devo pensar ou dizer".No discurso em que se criou esta confusão, Furtado afirmou que se deveria deixar os indígenas da Amazônia morrerem de fome. Ele também os chamou de "um bando de viadinhos”. O depoimento foi dado durante uma reunião, em São João do Caru, com as famílias retiradas do território demarcado para os índios Awá-Guajá. Na oportunidade, o deputado comunista deu o seguinte conselho: “Índio diz que não sabe plantar arroz. Então morre de fome, desgraça! É a melhor coisa que tem. Porque não sabem nem trabalhar.”

A Survival International é uma organização mundial de apoio aos povos indígenas, cujo objetivo é ajudar-lhes a defender as suas vidas, proteger as suas terras e decidir o seu próprio futuro. Foi fundada em 1969 após a publicação de um artigo de Normam Lewis no jornal británico Sunday Times, em que se expunham os massacres, o roubo de terras e o genocídio que produziam na Amazônia  brasileira. A entidade conta com escritórios em Madrid (Espanha), Londres (Inglaterra), Paris (França), Amsterdã (Holanda), Berlim (Alemanha), Milão (Itália) e São Francisco (Estados Unidos).


Nenhum comentário: