11 de dez de 2015

Assistente social maranhense ganha Prêmio de Direitos Humanos pela luta contra o trabalho escravo no estado

Brígida Rocha dos Santos, assistente social, residente em Açailândia (MA),
filha de trabalhadores rurais. Em 2005 iniciou sua luta pela erradicação do
trabalho escravo, por meio do seu trabalho no Centro de Defesa da Vida e
dos Direitos Humanos Carmen Bascarán e na Campanha Nacional
 “De Olho Aberto para não virar Escravo”
Pelo seu trabalho pela erradicação do Trabalho Escravo no Maranhão, a assistente social Brígida Rocha dos Santos foi agraciada, nesta sexta-feira, pela presidente Dilma Rousseff, com o Prêmio Direitos Humanos.

Trata-se da mais alta condecoração do Governo brasileiro a pessoas e instituições que se destacam na defesa, na promoção e no enfrentamento às violações dos Direitos Humanos em nosso país. O Prêmio é um elemento fundamental de Educação em Direitos Humanos, pela sua capacidade de colaborar para a construção e disseminação de valores para uma cultura de paz na sociedade.

Este ano, o prêmio foi dividido em 18 categorias, além da Menção Honrosa oferecida pelo Secretário Especial de Direitos Humanos, Rogério Sottili, e pela Ministra de Estado das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Nilma Lino Gomes. Na solenidade de entrega do prêmio, todos os agraciados recebem um certificado e uma obra de arte como homenagem aos seus trabalhos e reconhecimento de seus esforços na promoção dos direitos fundamentais do ser humano.

Segue abaixo a relação de todas as categorias do Prêmio Direitos Humanos 2015, ao lado dos agraciados deste ano:
  • Defensores de Direitos Humanos - "Dorothy Stang": Coletivo Margarida Alves de Assessoria Popular
  • Direito à Memória e à Verdade: Memorial da Resistência de São Paulo
  • Prevenção e Combate à Tortura: Ricardo Lewandowski
  • Combate e Erradicação ao Trabalho Escravo: Brígida Rocha dos Santos
  • Pátria Educadora - Educação e Cultura em Direitos Humanos: Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos do Piauí
  • Comunicação e Direitos Humanos: Leonardo Sakamoto
  • Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua: Clínica de Direitos Humanos Luiz da Gama da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo
  • Segurança Pública, Acesso à Justiça e Combate à Violência: Ordem dos Advogados do Brasil do Paraná – OAB Paraná: Projeto OAB Cidadania
  • Promoção e Respeito à Diversidade Religiosa: Rad Assis Brasil Ugarte
  • Garantia dos Direitos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT: Escola de Educação Básica Coronel Antônio Lehmkuhl – Projeto Expressão de Gênero da infância à juventude e Faces da Homofobia
  • Acesso à Documentação Civil Básica: Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania de Minas Gerais
  • ECA 25 anos: Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente: Tiana Maria Sento-Sé Chaves (em memória)
  • Garantia dos Direitos da Pessoa Idosa: Edusa César Menezes de Araújo Pereira
  • Inclusão da Pessoa com Deficiência: Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto
  • Igualdade Racial: Silvana do Amaral Verissimo
  • Autonomia das Mulheres: Rede Thydêwá
  • Garantia dos Direitos da População Indígena, Quilombolas e dos Povos e Comunidades Tradicionais: Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas – CONAQ
  • Selo Nacional de Acessibilidade: Gabinete Digital da Prefeitura Municipal de Caruaru
  • Menção Honrosa: Projeto Respeitar é Preciso! - parceria Instituto Vladimir Herzog e Prefeitura do Município de São Paulo

Nenhum comentário: