22 de dez de 2015

Para vice de Flávio Dino, Carlos Brandão, impeachment de Dilma Rousseff não seria bom negócio para os tucanos

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) disse nesta segunda-feira (21), durante confraternização de agropecuaristas, no Parque Independência, organizada pela Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem),  que o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT)seria um péssimo negócio para o seu partido. Apesar disso, a legenda, que ele presidente no Maranhão, vai continuar apoiando o seu impedimento, pois entende que a presença de Dilma no Palácio do Planalto é ruim para o país, haja vista que pode agravar a crise econômica, o que pode trazer graves consequências para o país.

De acordo com Brandão, o melhor para o PSDB seria que o desgaste pessoal da presidente e do seu partido se arrastasse até 2018, quando haverá nova eleição presidencial, pois as chances de uma vitória tucana seriam bem maiores. Num eventual impedimento de Dilma e a ascensão do vice Michel Temer, pode haver uma reeleição tranquila do PMDB, conforme entendimento dos militantes do PSDB,que já admitem imitar o PT em 1992, quando Fernando Collor de Melo foi cassado e o partido se recusou a participar do governo de Itamar Franco.

Carlos Brandão diz que o processo de impeachment não vem causando nenhum estremecimento entre ele e o governador Flávio Dino, que lidera um movimento nacional contra a saída de Dilma e, pelas redes sociais, vem classificando os opositores da presidente "traidores". Segundo ele, cada um, dentro da coligação que elegeu Flávio Dino e se mantém no governo, vai continuar levantando suas bandeiras com independência.

Nenhum comentário: