9 de fev de 2016

Advogados de Ribamar Alves tentam sua transferência para o quartel da Polícia Militar de Pindaré-Mirim

Ribamar Alves (E) com o governador Flavio Dino, em 2014, de
quem foi coordenador da campanha em toda a região do Pindaré
Os advogados do prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), recolhido ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas desde o dia 29 de janeiro, para onde foi encaminhado após prisão preventiva decretada pelo desembargador Froz Sobrinho sob acusação de praticar crime de estupro contra uma jovem de 18 anos, vão tentar nas próximas horas sua transferência para o Quartel da Polícia Militar de Pindaré-Mirim, localizado a menos de seis quilômetros da sede da Prefeitura Municipal do seu município (a MA que liga as duas cidades mede nove quilômetros).

A estratégia visa a convencer os vereadores da não necessidade de cassação do seu mandato, o que pode ocorrer na próxima sexta-feira (12), quando completam 16 dias de sua ausência do município, já que poderia receber auxiliares e até mesmo despachar de uma sala nessa unidade da PM. A transferência colocaria o prefeito também mais próximo de seus familiares, evitando o deslocamento até São Luís para visitá-lo.

Na próxima sessão da Câmara Municipal de Santa Inês está prevista a análise o pedido feito pelo empresário Fernando Antônio Vicente dos Santos, presidente da Associação Comercial, que pede a cassação do mandato do prefeito porque se encontra recolhido no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, ausente do município e sem condições de administrar a cidade de uma cela de cadeia. De acordo com a Lei Orgânica de Santa Inês, o período máximo de afastamento do mandatário do município é de 15 dias.

Nenhum comentário: