5 de fev de 2016

Prefeito Edivaldo Holanda Júnior autoriza comércio de gás GLP em postos de combustíveis de São Luís

GIRO ECONÔMICO

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) sancionou, em dezembro do ano passado, a Lei de número 6.013 que autoriza a comercialização de gás de cozinha em postos de distribuição de combustíveis. O diploma legal altera o artigo 15 da Lei 226 de maio de 2010, que restringe este comércio a empresas que comercializa apenas GLP, ficando a nova redação com o seguinte teor: “Fica terminantemente proibida a venda de Gás Liquefeito de Petróleo – GLP nos Postos de Abastecimento existentes na cidade, desde que não ofereçam as condições de segurança ou instalações compatíveis com as exigências legais”, ou seja, todo e qualquer posto que garantir a segurança de armazenamento e de transporte interno do produto pode vendê-lo.
No início do segundo semestre do ano passado, a Secretaria Municipal de Fazenda chegou a notificar os donos de postos de combustíveis de que a partir deste ano não receberiam mais alvarás para venda de gás.

Uber - São Luís está incluída entre as cidades em que a Uber será instalada em 2016, como se pode deduzir na leitura da entrevista concedida por Andrew MacDonald, gerente geral regional da empresa para região central dos Estados Unidos, Canadá e América Latina, ao jornalista Fernando Rodrigues, publicada no UOL nesta quinta-feira (04). Segundo o executivo até o final do ano serão contratados até 50 mil motoristas e o serviço estará disponível em todas as cidades do Norte e Nordeste com até 1 milhão de habitantes.

Paloma - O empresário Antônio Hiluy Nicolau pretende ampliar, logo depois do carnaval, a sua rede de Postos Paloma para 12 unidades na Ilha, com a inauguração de mais duas filiais, ambas no município de São José de Ribamar, onde já concluiu as instalações no centro da cidade (próxima à entrada para Panaquatira) e outra no povoado Mata. Com essas inaugurações, a Rede Paloma passa a ser a maior distribuidora de combustíveis com bandeira Petrobras em todo o estado, mesmo estando ainda fora do continente.

Carnaval - A baixa ocupação na rede hoteleira de São Luís é um sinal de como deverá ser a movimentação de turistas no período de carnaval, pois, segundo levantamento das entidades que representam o setor, a ocupação média está em torno de 30%, enquanto em outras cidades nordestinas não há mais lugar para hospedar ninguém.








No encontro de quarta-feira, com fornecedores de restaurantes e bares, o presidente do Sindebares, Francisco Neto (E), com os executivos da Brasil Kirin Nilson Almeida Silva e Dayse Brasileiro


Alumar - O Consórcio Alumar promoveu na última quinzena de janeiro, na Federação das Indústrias, workshop sobre o Programa de Apoio a Projetos Locais, para apresentar iniciativas realizadas junto à comunidade e esclarecer dúvidas sobre o Programa de Apoio a Projetos Locais, mantido pelo Instituto Alcoa há 25 anos voltado para  incentivar projetos comunitários de organizações da sociedade civil e do setor público nas áreas de educação, trabalho e renda, saúde, meio ambiente, governança e segurança.

Carnaval - Apesar de ser um período longo de não funcionamento de lojas e indústrias, além das repartições públicas, é claro, carnaval não é feriado, e o poder público apenas decreta ponto facultativo para que não sejam contados prazos na Justiça, concorrência etc nos três primeiros dias da semana. Quanto às empresas, as que estiverem fora de acordos coletivos entre patrões e empregados para que seja dada folga podem funcionar normalmente sem necessidade de pagar hora extra a empregados pelo tempo trabalhado.


Um comentário:

Anônimo disse...

A comercializacao de GLP é importante para a economia local.