19 de mar de 2016

Deputada petista pelo Rio Grande do Sul Maria do Rosário compara Lula a criminoso que precisa de ressocialização

É no mínimo estranho o pronunciamento da deputada federal petista pelo Rio Grande do Sul Maria do Rosário ao criticar as ações no Judiciário e no Congresso Nacional contra a presidente Dilma e o ministro nomeado para a Casa Civil Luiz Inácio Lula da Silva. Num discurso inflamado, Maria do Rosário disse que “o trabalho é fundamental para ressocialização de delinquentes em conflito com a lei”, porém a parte mais curiosa foi quando comparou o ex-presidente Lula a um criminoso:

“Tem que prevalecer o princípio da presunção de inocência, por isso não há problema do presidente Lula assumir o ministério. Se ele roubou, assumir a Casa Civil vai servir para ressocializá-lo”, frisou a parlamentar.

Em outra parte do seu inflamado discurso, Maria do Rosário (foto), ao se referir ao processo de impeachment da presidente Dilma, bombardeou o deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal, onde Dilma é investigada:

“O que vejo de mais absurdo é o Cunha, que é réu em processo criminal, continuar na presidência da Câmara. Um homem denunciado criminalmente não pode assumir um cargo de tal importância”.

Questionado pelo blogueiro Joselito Muller, se não havia incoerência em seu discurso, a deputada deu uma resposta fora de contexto: “esse tipo de questionamento é uma violência contra a mulher”. Ainda indignada com a pergunta, bradou: “Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Você precisar estudar mais”.
(Com dados do blog Joselito Muller - www.joselitomuller.com/)


Nenhum comentário: