11 de mar de 2016

Lula joga Bumlai às cobras ao pedir para não depor a seu favor após ser arrolado pela defesa do amigo pecuarista

O ex-presidente Lula decidiu trocar o depoimento que faria segunda-feira (14) como testemunha arrolada pela defesa do pecuarista José Carlos Bumlai, por um esclarecimento por escrito, em que se livra das denúncias de fazerem negócio com o amigo.

O depoimento de Lula tinha sido marcado para segunda-feira (14), às 09h, por videoconferência, na Justiça de São Paulo. De acordo com o Código de Processo Penal (CPP), o réu pode desistir da oitiva de testemunhas arroladas por ele, por isto o juiz Sérgio Moro homologou nesta sexta-feira (11) o pedido de dispensa do depoimento.

Nos seus esclarecimentos, o ex-presidente afirma que é amigo de Bumlai desde 2002 e que nunca tratou de assuntos políticos com o pecuarista. 

Lula também informou que nunca teve conhecimento de que Bumlai tenha usado a amizade com ele para obter vantagens em qualquer tipo de negócio.

Vale lembrar que após a condução coercitiva, sexta-feira da semana passada (dia 04), o ex-presidente em desabafo contra a ação da Polícia Federal, disse que bastava Sérgio Moro convidá-lo para depor que ele iria, não sendo necessária, portanto, a ação que o forçou a ir prestar depoimento no Aeroporto de Congonhas. Chamado agora, ele não quis ir.

Antes de decidir pela homologação, Moro disse aos advogados de Bumlai que as declarações enviadas por escrito pelo ex-presidente Lula não podem ser usadas como prova na defesa do pecuarista. Para Sérgio Moro, declarações a favor de investigados devem ser feitas por meio do contraditório, conforme estabelece o CPP.

Nenhum comentário: