22 de mar de 2016

Preço da castanha de caju tem aumento considerável nos estados do Nordeste, segundo dados da Conab

GIRO ECONÔMICO

Os preços da castanha de caju produzida no Brasil, comparados aos de fevereiro do ano passado, remuneraram bem os produtores nordestinos, sobretudo os dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí, onde estão concentradas mais de 80% da produção nacional, mas que foi sentido também no Maranhão, onde foi comercializada bem acima do preço mínimo estabelecido pelo governo federal, de R$ 1,70 o quilo. A análise de conjuntura da castanha, realizada pela Companhia Nacional de Abastecimento, demonstra uma alta de 45,16% no preço de mercado no Ceará, chegando a R$ 3,60 o quilo do produto em natura. No Rio Grande do Norte, a valorização foi de 36,58%, com valor de comercialização de R$ 3,51 o quilo. Já no Piauí, subiu 30,21%, chegando a R$ 2,50 o quilo.

O aumento do preço da castanha in natura se deve, sobretudo, ao aumento da demanda interna e à diminuição da safra nos últimos anos frente ao clima seco da região.

Turismo - Já que estão trabalhando em parceria, Prefeitura e Governo do Estado deveriam pelos menos combinar as notícias sobre um mesmo evento e não ficarem, numa espécie de competição, dizendo quem fez melhor o quê. Na recepção aos 200 turistas franceses que desembarcaram de um navio de cruzeiro para o city tour pela cidade, a Secretaria Estadual de Turismo diz que fez toda recepção, mas a Secretaria Municipal de Turismo também diz que foi ela, e tudo isto por poucas horas de visitação.

Advogados - Nem mesmo num ambiente onde todos dizem conhecer as leis em profundidade, como é o caso da OAB, há entendimento sobre se o impeachment de Dilma é constitucional ou não. Sexta-feira, o presidente Thiago Diaz foi levar o posicionamento da instituição no estado, pelo impedimento da presidente, ao Conselho Federal, que acabou votando a favor, mas o ex-presidente Mário Macieira discorda e ainda foi ao protesto em favor do governo, de onde disparou: “A OAB-MA virou golpista”.

Consumo de água - Após diminuir em 3,3% o uso de água em 2015, a Ambev bate a meta global estabelecida pela AB InBev dois anos antes do prazo. Até o fim de 2017, o grupo quer atingir o índice de consumo de água na operação de 3,2 litros para cada litro de bebida envasado. Na operação brasileira, o consumo já é de 3,17 litros. 








Na Semana de Gastronomia do Maranhão, no Restaurante Escola do Senac, na Câmara Federal, em Brasília, o diretor do Senac-MA, José Ahirton Lopes (D), recepcionando o deputado João Castelo (PSDB)



Alcoa - O Conexão Sustentável Alcoa 2016 chega a São Luís na próxima terça-feira (29), onde permanece até o dia 1º de abril. O Palco Móvel, para espetáculos teatrais gratuitos e abertos à comunidade, ficará estacionado no espaço Viva da Cidade Operária. O projeto que chegou a mais de 45 mil pessoas no ano passado iniciou a edição deste ano pelo município de Juruti (PA). Após São Luís, o Conexão Sustentável vai visitar Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 

Estacionamento - A J.L.N.Z. Estacionamento LTDA, responsável pelo estacionamento do Rio Anil Shopping, no bairro do Turu, sentiu a mão pesada do Procon neste ssábado (19), quando recebeu um multa no valor de R$ 100 mil porque mantém a regra de cobrar um valor arbitrado por ela a quem perde o ticket de estacionamento, já que não pode mensurar em que momento o veículo deu entrada no estabelecimento. Ela tem prazo de dez dias para apresentar recurso ou efetuar o pagamento da multa arbitrada.

Nenhum comentário: