18 de abr de 2016

Maranhenses votaram no impeachment pela BR 135, por Bacabal, por São Luís, por Jackson Lago, contra Lula...

A maioria dos deputados aproveitou o momento de votar contra ou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, neste domingo (17), para mandar recados, e assim a posição assumida no plenário da Câmara Federal acabou sendo uma homenagem a um lugar, a uma pessoa ou até mesmo ao abandono de obras por parte do governo federal.

  • Primeiro a votar, Alberto Filho (PMDB) disse que o seu "sim" era para o povo de Bacabal
  • Aluisio Mendes (PTN) disse que votou "não" em nome da coerência
  • André Fufuca (PP) votou "sim" em protesto contra o abandono da Refinaria Premium e suspensão das obras de duplicação da BR 135
  • Cleber Verde (PRB) apenas disse que votava "sim" pela mudança.
  • Pré-candidata a prefeita de São Luís Eliziane Gama (PPS), além de condenar a corrupção do petrolão, disse que o "sim" era em nome "do meu Maranhão e da minha querida cidade de São Luís"
  • Hildo Rocha (PMDB) votou "sim" seguindo a orientação do seu partido.
  • O também pré-candidato a prefeito de São Luís João Castelo (PSDB) votou "sim" por acha que o político precisa ter dignidade e coerência, o que ele teria demonstrado como deputado federal, senador, governador e prefeito de São Luís. 
  • João Marcelo (PMDB) preferiu apenas dizer que votava "não".
  • Ex-governador do Maranhão, José Reinaldo (PSB) lembrou o tratamento que lhe foi dispensado pelo governo do PT quando estava no Palácio dos Leões para dizer que votava "sim".
  • Junior Mareca (PEN) preferiu economizar nas justificativas para dar o seu "não"
  • Juscelino Filho (DEM) votou "sim" atendendo ao clamor das ruas, pela dignidade na política e também pelo povo sofrido do Maranhão.
  • Pedro Fernandes (PTB) usou o discurso contra a hipocrisia para dizer "não".
  • Rubens Pereira Filho (PCdoB),por entender que a presidente não cometeu crime de responsabilidade, disse "não".
  • O deputado Sarney Filho (PV) disse que seguia a orientação tomada pelo seu partido para dizer "sim" 
  • Victor Mendes (PSD) votou "sim" por este era o sentimento da nação.
  • Waldir Maranhão (PP) jurou lealdade ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha, mas votou "não" pelo acordo firmado com o governador Flávio Dino (PCdoB). 
  • Weverton Rocha (PDT) apelou para a memória do ex-governador Jackson Lago e cantarolou que "sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor...", para dizer "não".
  • Zé Carlos (PT) exibiu a Constituição que jurou defender para dizer "não".

Nenhum comentário: