10 de abr de 2016

Pesquisadores do Brasil, Estados Unidos e Colômbia debatem em São Luís doenças do Aedes Aegypti

Nesta segunda-feira (11) uma equipe de pesquisadores do Brasil, Estados Unidos e Colômbia estará em São Luís para uma reunião, a partir das 08h30, no Hotel Luzeiros, que visa a discutir sinais de alarme para detecção de epidemias das doenças causadas pelo Aedes aegypti no Brasil, mosquito transmissor da Dengue, Zika vírus e Chikungunya. Estão confirmadas as partições do secretário Marcos Pacheco (Saúde), Giovanini Coelho (Ministério da Saúde), Liegh Bowman (Liverpool School of Tropical Medicine dos Estados Unidos) e Eduardo Alfonso Sierra (Colômbia).

O evento também conta com a presença de palestrantes de diversas cidades brasileiras, como Vitória (ES), Cuiabá (MT), João Pessoa (PB), Natal (RN), Recife (PE), Ribeirão Preto(SP), Salvador (BA) e Boa Vista (RR), que estão vindo a São Luís para falar sobre suas experiência no combate ao mosquito em suas cidades.

O evento irá analisar a atual situação do Brasil diante da circulação simultânea do vírus da Dengue, Zika e Chikungunya e a execução dos trabalhos de combate ao vetor. O objetivo é conhecer o cenário de enfrentamento do surto no país e compreender suas implicações. Essas informações estão sendo utilizadas em um projeto de pesquisa em andamento há um ano, realizada por brasileiros, americanos e colombianos, sobre a detecção e resposta aos surtos de Dengue, Zika e Chikungunya.

De acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), em 2016 até a 13ª semana epidemiológica, foram notificados no Maranhão 10 mil 710 casos de dengue, destes 1.489 foram confirmados. Quatro óbitos foram confirmados por sorologia e seis estão em investigação. Sobre o Zika vírus, 1.239 casos foram notificados, sendo 688 confirmados. Nenhum óbito foi notificado.

Já em relação a Chikungunya, foram 1.251 casos notificados, destes 566 foram confirmados. Nenhum óbito foi notificado.

Nenhum comentário: