4 de abr. de 2016

Petistas e comunistas gostam de protestar contra a Rede Globo, mas adoram aparecer na tela do plin-plin

É no mínimo incoerente a postura de petistas, comunista e outros simpatizantes do governo da presidente Dilma que estão nas ruas brigando contra o impeachment comparada a de autoridades federais que trabalham nas articulações políticas para manter a estrutura de poder montada desde 2003 com a chegada de Luís Inácio Lula da Silva ao Palácio do Planalto.

Um dos principais alvos da fúria dos "esquerdistas" é a Rede Globo de Televisão porque, segundo eles, estaria dando uma cobertura tendenciosa em favor da oposição. O mesmo comportamento, no entanto, é visto por quem assiste aos telejornais de outras emissoras, porém como muitos dos seus críticos só assistem Rede Globo este ficam com esta impressão de que o noticiário está sendo direcionado contra a presidente. Não é de duvidar, porém não há nenhuma invenção, apenas divulgação do que apuram Polícia Federal e Ministério Público e decidem os membros do Judiciário (juízes e ministros).

Os mesmos petistas que estão nas ruas protestando contra a Globo e suas filiadas, no caso do Maranhão o Sistema Mirante, são os mesmo que afugentaram os repórteres dessas emissoras nos protestos pró-governo. Aos gritos de "fora, Rede Globo", não deixaram os jornalistas cobrir as manifestações e depois foram para as redes sociais criticar porque não ele não deram o mesmo tratamento dado às manifestações pró-impeachment. "Cadê a cobertura ao vivo, Globo?", perguntavam os idiotas de manto vermelho.

Muitos petistas recordam, mas não gostam que se diga; quando Lula foi eleito presidente da República em 2002 após anunciado o resultado oficial, jornalistas de todas as emissoras de TV, rádio, revistas, jornais etc o aguardavam para uma entrevista coletiva, porém, para surpresa de todos, ele apareceu com exclusividade para a Rede Globo, fazendo parte da bancada do Jornal Nacional, ao lado de Fátima Bernardes e William Bonner, naquela noite atuando como comentaristas de política, da economia, de esporte e tudo o mais que lhe fosse perguntado, pois ele sabe tudo.

Ao longo dos governos de Lula (oito anos) e nos cinco da presidente Dilma, sempre que o governo tinha algo a anunciar o detalhamento da medida era explicada por ministros em telejornais da Globo e as outras emissoras que corressem atrás. O mesmo receituário usados pelos presidentes anteriores, os direitistas, golpistas etc.

Neste domingo (03) a cena se repetiu, pois em meio a todo esse bombardeio contra a emissora dos Marinho, o advogado geral da União, José Eduardo Cardozo, falou com exclusividade ao Fantástico sobre a estratégia da defesa do governo na comissão do impeachment, que ele vai fazer nesta segunda-feira (04). Por que não falou com exclusividade ao Domingo Espetacular da Rede Record? Por que não deu entrevista exclusiva ao Canal Livre da Bandeirantes? Por que não foi ao programa de Sílvio Santos do SBT? Por que não deu entrevista para todas as emissoras a fim de ser mais imparcial e o que seria mais justo? Só um petista para responder?

A verdade é que muitos metidos a esquerdistas não sabem para que serve um controle remoto, nem sabem quantos canais estão disponíveis em seu receptor de TV. Entra ano e sai ano é só assistem a uma emissora - jornais, futebol, novelas, filmes, lutas (ainda que gravadas) etc - pois pensam que ela pode tudo, mas quando falha a seu interesses reclamam. Mirem-se no exemplo de Recardo Texeira, ex-presidente da CBF, que dizia: "enquanto a Globo  estiver do meu lado estou cagando para as outras emissoras". Saiu sujo da entidade, sem chances de se limpar, e nem a Globo lhe ofereceu papel higiênico, não o segurou. Dilma, Lula e o PT tudo fizeram pela Globo, mas parece que nem ela os salvará. PT saudações.

Nenhum comentário: