1 de mai de 2016

Campanha de vacinação contra aftosa começa sem estímulo do Governo dos Estado a pequenos criadores

Mais uma vez a história se repete no Maranhão: a abertura da campanha de vacinação contra febre aftosa se dá sem que tenha havido, por parte do Governo do Estado, preocupação com o incentivo aos criadores para imunização dos rebanhos bubalinos e bovinos, principalmente de quilombolas, carroceiros, indígenas e outros que possuem quantidade pequena de animais e que precisam ser estimulados, já que o grande proprietário rural se protege, até porque precisa defender seu patrimônio.

Nos governo anteriores, sempre havia preocupação neste sentido com elaboração de campanhas publicitárias, encontros com pequenos criadores e até mesmo doação de vacinas a este segmento mais frágil, o que infelizmente, desde o ano passado, vem ocorrendo de maneira tímida, como se a proteção do rebanho não fosse uma questão de saúde pública, segurança alimentar e valorização da economia estadual.

Apesar dos pesares, a expectativa da Agência de Defesa Agropecuária (Aged) é garantir uma cobertura vacinal de pelo menos 95% dos rebanhos de bovinos e bubalinos. Este percentual será uma margem de segurança para que o estado continue a reivindicar sua elevação para o status de zona livre sem vacinação. Em 2014, o Maranhão foi reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) zona livre com vacinação.


Um comentário:

Anônimo disse...

O risco sanitario de não vacinação desses rebanhos indígenas e quilombolas eh muito grande. A vacinação desses rebanhos era estratégico para manutenção da qualidade do status sanitário do rebanho maranhense e é sabido de todos que a não realização de vacinação oficial implicara num quantitativo significativo de animais não vacinados. Temos municípios em que a totalidade de seu rebanho é formada por esses animais, principalmente na baixada onde ha uma carência muito grande da presença da AGED, que se tornou mais grave com a demissão de servidores terceirizados ocorrida neste inicio de ano. ESSE EH O MARANHÃO DE TODOS NÓS.