24 de mai de 2016

Deputado Cabo Campos pede que governo dê aos soldados do Maranhão o mesmo tratamento dado à Força Nacional

Em contundente pronunciamento nesta segunda-feira (23), na Assembleia Legislativa, o deputado Cabo Campos (PPS), que é uma espécie de porta-voz dos militares, criticou o tratamento que o Governo do Estado está dispensando aos policiais militares locais em comparação ao que é dado aos guardas da Força Nacional. Campos elogiou a ação da polícia para conter a onda de violência que vem se registrando em São Luís desde quinta-feira (19), mas advertiu que “as facções estão se organizando, mandando mensagem para cá e para lá".

Ao comentar a vinda da Força Nacional, que chegou nesta terça-feira (24), o deputado disse que é a favor, mas pediu que o governo também trate bem os soldados maranhenses. Segundo Campos, os policiais vindos do interior do Estado para reforçar o policiamento da capital estão submetidos a uma escala muito pesada de trabalho e ganhando uma diária de R$ 150, que ainda não foi paga. 

O tratamento à Força Nacional é bem diferente: “os militares da Guarda Nacional já chegam aqui com a diária no bolso de R$ 272,00 e vão ter um bom alojamento, uma boa alimentação e uma escala digna de trabalho. Por que não darmos essas mesmas condições aos nossos policiais?”, questionou.

Já o deputado Júnior Verde (PRB) pediu uma valorização permanente aos policiais locais. “Sugerimos, dentre outras medidas, a continuidade dos concursos públicos para a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros; para a Polícia Civil, para que muitos policiais que, hoje, cumprem funções burocráticas possam reforçar o policiamento; celeridade na implantação dos postos estaduais de policiamento em todo o Estado e de investimentos em viaturas e em armamento; a implantação imediata de bloqueadores de sinais de celulares em presídios; a imediata transferência de todos os líderes de facções que atuam dentro dos presídios; mudar as leis para que sejam mais rígidas, e os bandidos tenham a certeza da punição e a implantação dos Conselhos de Segurança Comunitários”.


Nenhum comentário: