21 de mai de 2016

"Devoção" a Flávio Dino faz com que maranhense seja proibido de pensar, de enxergar, de ver, de ouvir...

Admiração a Flávio Dino beira a fanatismo de seus seguidores
A que ponto chegou o Maranhão! O seu povo está impedido de pensar, de ter uma opinião sobre os fatos que os cerca. Os jornalistas, então, ficaram proibidos de narrar os acontecimentos tais como ocorridos, sob pena de serem rotulados como seguidores de uma das facções políticas que se digladiam neste momento no estado, a do governador Flávio Dino (PCdoB) e a da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), como se não houvesse a possibilidade de não se querer seguir nenhuma das duas e viver conforme suas próprias convicções.

Você é apoiador do atual governo ou é saudosista do anterior, esta é a regra. 

Isso está ocorrendo porque alguns seguidores e/ou auxiliares do governo estão querendo transformar a admiração ao governador Flávio Dino em devoção e a oposição a ele num sacrilégio, ou seja, por ter sido eleito com mais de 62% dos votos, em 2014, a ninguém é dado o direito de contestá-lo, a ninguém é dada a ousadia de enxergar alguma falha na sua gestão, numa adoção das piores práticas exercidas em nações totalitárias, onde é proibido raciocinar, sentir, ouvir, enxergar, divergir.... Deve-se apenas concordar e aceitar.

Confesso que custa-me acreditar que isto seja ideia de Sua Excelência, pois em seus discursos sempre diz que é preciso haver e estimular a pluralidade de ideias, portanto creio ser mais pretensão de quem, querendo manter privilégios, se encarrega de serviços sujos como se estivesse contribuindo e não prejudicando a imagem do governo e do governante. O grande problema é que há um enorme abismo entre o nível intelectual do governador e de alguns dos seus auxiliares e as maçãs podres podem estar contaminando o cesto.

O mais grave é que a proliferação de blogs fez com que aqueles que não são da área, mas passaram a se abrigar no segmento imprensa, se encarregassem de transformar notícias em ofensas ou bajulações com o agravante de ainda se tornarem patrulhadores de quem não comunga com suas ideias ou de quem os financia.

Os episódios de quinta e sexta-feira passadas, dias 19 e 20, em que se registraram atentados a ônibus em São Luís, deixando a população assustada e prejudicada em seu direito de ir e vir, serviram para agravar mais ainda este quadro. Quem cuidou de dar notícias sem estar pautado pela Secretaria de Comunicação Social do Estado estava com saudades do governo passado ou, o que é mais grave, a serviço dos bandidos. Um secretário de Estado teve a ousadia de mandar o recado de que não há meio termo: ou você está do lado do governo ou do lado dos criminosos. Que coisa! Mas como já alertava Sun Tzu, autor da Arte da Guerra, cuidado com o imbecil de alta patente.

Neste ambiente de insensatez de elevado grau, este jornalista já foi alvo, por diversas vezes, de críticas absurdas simplesmente porque ousou reproduzir dados oficiais sobre o desempenho da economia maranhense. 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em suas estimativas para a safra agrícola apontam que haverá queda na produção maranhense este ano, mas reproduzir isto virou uma ofensa. O mesmo ocorreu nas vezes em que registrou ter havido queda na geração de empregos no estado com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência. 

Vale ressaltar que em nenhum momento alguém foi responsabilizado por estes desempenhos, porém como ocorreram na vigência do atual governo deveriam ser ignorados. A população jamais poderia saber disto.

Chegamos a esse ponto, e isto é apenas o começo, pois em todos os governos há acertos e erros e com o passar dos meses vai-se intensificar este cerco ideológico imbecil sobre quem tiver a ousadia de não aceitar ser rotulado como “dinista” ou “roseanista”. Vai ser duro viver por aqui!

Já tivemos Vitorino Freire, já tivemos José Sarney. O que nos reserva o futuro?

Um comentário:

Anônimo disse...

Excelente análise Aquiles, é exatamente isso que acontece com os secretários e demais membros do governo FD, fanatismo total e devoção absoluta , medo e ataque a quem ousar dizer algo de ruim.