12 de mai de 2016

João Alberto mantém seu voto contra o impeachment de Dilma, mas Edison Lobão e Roberto Rocha votam a favor

João Alberto (E) votou contra, enquanto Edison Lobão (C) e Roberto
votaram pela admissibilidade do impeachment da presidente Dilma
Apesar do placar amplamente favorável à admissibilidade do impeachment da presidente Dilma, na votação da manhã desta quinta-feira (12) no Senado (55 a 22), a bancada maranhense teve um voto contra, o de João Alberto (PMDB), enquanto os senadores Roberto Rocha (PSB), mesmo tendo sido eleito numa aliança com o governador Flávio Dino (PCdoB) em 2014, que é contra o impeachment, e Edison Lobão (PMDB), que foi ministro de Minas e Energia, votaram a favor.

Considerado um dos sarneístas mais fiéis, o senador João Alberto desperta curiosidade por esta posição, já que tanto o ex-senador José Sarney quanto seus filhos Roseana (ex-governadora) e Sarney Filho (deputado federal) sempre se manifestaram a favor do impedimento da presidente. Nesta quarta-feira (11), inclusive, o vice-presidente Michel Temer (PMDB), que será empossado nesta quinta-feira (12), foi pessoalmente à casa de Sarney pedir conselhos e saiu de lá com a garantia de que podia anunciar Sarney Filho ministro de Meio Ambiente.

A posição de João Alberto, vale lembrar, foi seguida também pelo seu filho, o deputado João Marcelo (PMDB), dia 17 de abril, na Câmara Federal. O voto de Lobão, embora surpreenda por ter sido ministro de Lula e de Dilma, já era admitido nos últimos dias. Quanto a Roberto Rocha, ele mostrou com esta posição que está, lentamente, se afastando da orientação política do governador Flávio Dino, que o apoiou em 2014, pois, apesar da campanha deste contra o "golpe", votou sim.

Nenhum comentário: