29 de mai de 2016

Jornal Pequeno, um jornal que não se pode medir pelo tamanho, mas pelas posições que assume há 65 anos

GIRO ECONÔMICO

Um jornal não se mede com régua para saber quantos centímetros medem sua altura, sua largura, sua área impressa, tampouco o nome serve para definir sua grandeza. Isto se aplica ao Jornal Pequeno, que neste domingo completa 65 anos de existência, 15 anos a mais da expectativa de vida das empresas brasileiras, o que demonstra ser, senão o maior, um dos maiores veículos de comunicação do estado, pois ao longo desses anos seus principais aliados foram leitores avulsos e assinantes que fizeram migrar para suas páginas anúncios de empresas.

Apesar de alguns acharem assim, o JP não é um jornal de oposição, mas um veículo crítico, vigilante, destemido, e tanto isto é verdade é que basta ver para onde correm os que ficam por alguma temporada fora do poder público. Pena que muitos esquecem quando chegam ou quando retornam para lá.

O Jornal Pequeno é um grande exemplo de empresa familiar. Tendo à frente Hilda Bogéa, é feito pela dedicação de Lourival, Ribinha, Luís Antônio, Eduardo, Gutemberg e outros da terceira geração dos Bogea. Muito já foi feito por Josilda, mas esta fica na lembrança, na saudade. Feliz aniversário, Jornal Pequeno! Vida longa!

Itaqui - O presidente da Federação das Indústrias, Edilson Baldez, está liderando movimento para manutenção do Porto do Itaqui sob o controle do Estado, já tendo conseguido apoio de grande parte dos deputados federais e senadores da bancada maranhense no Congresso Nacional. Para Baldez, desde a estadualização, em 2001, o Itaqui melhorou a sua gestão e se transformou em um dos mais importantes portos públicos do país. “Uma possível federalização implicaria num retrocesso”, opina.

Independência - A postura do presidente da Fiema em defesa do Itaqui deve inspirar líderes empresariais a encabeçarem outros movimentos em defesa da economia maranhense, como Parque Independência, cedido em comodato à Associação dos Criadores, cujo contrato vai até 2026, mas o Governo do Estado quer reintegrá-lo a seu patrimônio. No local, todos os anos, é realizada a Expoema, que movimenta negócios da agropecuária, turismo, gera empregos (temporários) e traz outros benefícios para o estado.

Aftosa - Faltam dois dias para encerramento da vacinação contra febre aftosa e devido ao baixo índice de imunização tudo indica que a Agência de Defesa Agropecuária (Aged) vai pedir ao Ministério da Agricultura prorrogação do prazo.

Com a licença de José Arteiro, por motivos de saúde, Marcelino Ramos (C) preside interinamente a Federação do Comércio. No registro, na Ação Global, com o diretor estadual do Senac, Ahirton Lopes (ao seu lado) e o superintendente da Fecomércio, João Torrres (D)


Senac - A unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) no município de Imperatriz está oferecendo 295 vagas gratuitas para os cursos de Almoxarife, Assistente Administrativo, Assistente Pessoal, Auxiliar de Cozinha, Auxiliar de Confeitaria, Camareira em Meios de Hospedagem, Confeccionador de Bijuterias, Copeiro, Depilador, Manicure e Pedicure e Operador de Caixa. As inscrições podem ser feitas até esta terça-feira (31) no site do Senac: www.senac.com.br.

Pecuária - Muitos pecuaristas maranhenses temem ter os negócios inviabilizados com a ação enérgica da Secretaria de Fazenda que decidiu cobrar ICMS que deixaram de ser recolhidos desde 2011, acrescido de multa. Em Bacabal há fazendeiros com débito acima de R$ 360 mil e os devedores olham para o patrimônio e percebem que é quase tudo o que têm. O deputado Roberto Costa se ofereceu para tentar pelo menos um parcelamento das dívidas, para que na ânsia de matar o carrapato não se mate a vaca.

Nenhum comentário: