20 de mai de 2016

É um risco se fazer estatísticas contando com a paciência do crime organizado, pois ele sempre surpreende

Charge mostra como era Pedrinhas no tempo que Roseana era governadora
Imagina, leitor, se o futuro presidente da França, para mostrar que é muito melhor que François Hollande, se, logo no primeiro ano da nova administração, esbravejar: "no meu governo não ocorreu nenhuma atentado terrorista", referindo-se aos crimes de dezembro de 2015 em Paris. Poder ser uma verdade, mas perigosa, pois quem pratica terrorismo nunca comunga com quem prega democracia, portanto haveria um sério risco de uma desmoralização, pois quando ocorre um atentado ele nunca é avisado onde e quando será.

Este parece ter sido um dos equívocos do governador Flávio Dino (PCdoB) ao querer mostrar que é o melhor de todos os governadores que já passaram pelo Palácio dos Leões. Desde fevereiro de 2015, ou seja, um mês depois de empossado, vem fazendo comparações de sua administração com os seis últimos anos de sua antecessora, Roseana Sarney (PMDB), ou mesmo com os 50 anos do sarneísmo. Um dos indicadores a que ele mais recorre refere-se à violência, e assim quase todos os dias surgem estatísticas mostrando que os maranhenses hoje estão mais seguros, apesar de quase ninguém ter esta sensação, mas estatística é estatística. Outro exemplo constante é a pacificação de Pedrinhas, onde houve muitos casos de motins, decapitações de prisioneiros, fugas em massa etc, e agora as ocorrências se dão em índices bem menores.

Ônibus voltaram a ser incendiados em São Luís nesta quinta-feira
Contando com uma colaboração inestimável dos profissionais do transporte coletivo, que, mesmo apontando que o número de assaltos a ônibus aumentou em São Luís, não param suas atividades, como no passado, o atual governo gosta de apresentar como ação efetiva de sua polícia o fato de não se registrar mais incêndios no transporte coletivo. Não se registravam, mas nesta quinta-feira (19) eles voltaram, com as mesmas características de dois anos atrás, mostrando que os mesmos bandidos que infernizavam a vida da população no governo de Roseana Sarney, Jackson Lago, José Reinaldo... estão de prontidão para agir agora também. 

O secretário Jefferson Portela procura mostrar que há uma diferença entre um episódio e outro, lembrando que desta vez a polícia conseguiu prender de imediato sete suspeitos. Ora, em 2014 em poucas horas a polícia prendeu seis. A única diferença é que até agora ninguém morreu, ao contrário do registro passado.




Nenhum comentário: