18 de jun de 2016

Nome do ex-presidente José Sarney é retirado de viaduto na cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo

Não é apenas no Maranhão onde o nome do ex-senador e ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) está sendo retirado de bens públicos. Na cidade de Ribeirão Preto, no interior paulista, a prefeita Darcy Veras (PSD) vai cancelar a homenagem dada ele com a denominação de um viaduto, que passará a se chamar Jandyra de Camargo Moquenco, ex-diretora do jornal "A Cidade".

Ano passado, o governador Flávio Dino (PCdoB), por decreto, tirou o nome de Sarney de pelo menos seis estabelecimentos de ensino e tem na mira outros monumentos e vias públicas, como Ponte do São Francisco, em São Luís; hospital estadual de Pindaré-Mirim, e muitos outros.

Apesar das recentes denúncias trazidas a público com as delações do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, não é o envolvimento no esquema da Lava Jato que está levando a Prefeitura de Ribeirão Preto a tomar essa medida, pois a lei foi aprovada na Câmara Municipal sete anos atrás, depois da citação do ex-presidente em outro episódio, em 2009, quando foi acusado de nomear parentes e fazer uso de atos secretos, quando presidia o Senado, para aumentar salários.

"Para Ribeirão Preto fica muito ruim deixando o nome dele exposto", afirmou ao jornal O Globo, o presidente da Câmara Municipal, Walter Gomes (PTB), autor do projeto de lei em 2009.Para o vereador, a mudança é um presente para a cidade, que completará 160 anos neste domingo (19). Segundo o vereador, caso existam mais homenagens a envolvidos na Lava-Jato, elas serão retiradas.

O viaduto foi inaugurado em 1986, quando José Sarney era presidente da República, pelo prefeito João Gilberto Sampaio. A cidade mantém duas avenidas com nomes de ex-presidentes do regime militar, Castelo Branco e Costa e Silva, e uma praça chamada Emilio Garrastazu Médici.

(Com dados de O Globo)

Nenhum comentário: