3 de jun de 2016

Ribamar Alves: "Fui abandonado pelo governador Flávio Dino no meio do caminho sem nenhuma justificativa"

Ribamar Alves (E) e  Flávio Dino, na campanha de 2014. O prefeito
diz que foi abandonado pelo governador no "meio do caminho" e não
conseguiu receber nenhum benefício para seu município, nem na Saúde
Numa entrevista em caráter de desabafo, concedida ao jornalista Marcial Lima e levada ao ar na manhã desta sexta-feira (03) no programa Ponto Final da Mirante AM, o prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), queixou-se do tratamento que vem sendo dispensado ao seu município pelo governador Flávio Dino (PCdoB), que ele apoiou em 2014. Segundo o prefeito, ele foi "abandonado no meio do caminho" e até agora não foi possível fechar nenhuma parceria entre a Prefeitura e o Governo do Estado, o que ele atribui a uma desorganização da gestão estadual.

De acordo com o prefeito, o governador chegou a anunciar obras do Mais Asfalto em Santa Inês, porém quando procurou o secretário de Infraestrutura, Calyton Noleto, para saber os detalhes das ações, foi informado que iria ser realizada uma licitação para execução das obras, o que nunca se deu. "A última informação que obtive foi de uma licitação não para Santa Inês, mas para toda região do Pindaré, mas pelo que me consta ela já foi cancelada", disse o prefeito.

Ribamar Alves reclamou também da falta de transferência de recursos para a área de Saúde e afirmou que, a exemplo de outros municípios, Santa Inês não vem recebendo um centavo do governo estadual para manutenção de hospitais e postos de saúde. "Até mesmo as obras do Hospital Regional estão paralisadas", denunciou.

Apesar das reclamações, o prefeito ainda não fala em rompimento político, até porque o seu partido é da base aliada do governo, elegeu o senador (Roberto Rocha) na coligação do governador. Ribamar Alves ainda chegou a ser questionado se o recente problema enfrentado com a polícia (foi acusado e preso por um suposto estupro a um jovem vendedora de livros), mas ele descarta essa possibilidade, visto que Flávio Dino foi empossado em 1º de janeiro de 2015 e o episódio se deu agora, ou seja, em um ano e meio não mereceu a menor atenção, fato que não prejudica a ele, isoladamente, mas toda a população do seu município.

Ribamar Alves prefere acreditar em desorganização do governo do que em má vontade do governador.

Nenhum comentário: