11 de jul de 2016

Clóvis Fecury deve ser convocado pelo Senado para juiz do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff

O empresário Clóvis Fecury (foto), que administra a maior instituição de ensino superior privado no estado, o Uniceuma, deverá ser convocado para juiz do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT), cuja votação deve ocorrer em agosto. Filiado ao Democratas, ele, na condição de primeiro suplente, deve ser chamado para substituir João Alberto (PMDB), que vai pedir licença alegando necessidade de permanecer mais tempo no estado, a fim de acompanhar melhor o processo eleitoral de outubro, quando estarão em jogo cargos de prefeitos e vereadores e os peemedebistas tencionam sair do processo com um grande número de eleitos.

Vale destacar que João Alberto foi um dos 22 senadores que votaram contra a admissibilidade do impeachment no Senado, mas ele não vem demonstrando vontade de repetir o voto, porém ainda assim não gostaria de criar um atrito com o PT, de quem foi aliado desde o primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva, por isto prefere se ausentar e passar o poder de veredito a outro.

Além de Clóvis Fecury, outro empresário, Lobão Filho, que atua nos ramos de comunicação e incorporação, também deve ser chamado para o julgamento final da presidente afastada. Ele vai substituir o pai, Edison Lobão, que foi ministro de Minas e Energia tanto de Dilma quanto de Lula. Pai e filho do PMDB.

Nenhum comentário: