14 de jul de 2016

Waldir Maranhão diz muitas das suas medidas como presidente da Câmara vão ajudar a mudar o Brasil

Em seu discurso de despedida da interinidade como presidente da Câmara Federal, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), alheio às críticas pelas suas trapalhadas à frente desta casa legislativa, disse que algumas das medidas por ele tomadas vão mudar o Brasil." Nestes poucos meses, aprendi anos. Acertei e errei como qualquer um, mas não vou aqui ficar lamentando o passado. Tenho certeza que algumas decisões vão mudar o nosso país para melhor. O resto é página virada".

Ele chegou a comparar a incompreensão à sua pessoa às dificuldades também enfrentadas por José Sarney. "Todos sabem o quanto custou a um maranhense ser Presidente do Brasil", frisou.
Waldir Maranhão, mais uma vez lembrou que é de família pobre, mas conseguiu subir na vida pelo estudo. Formado em Medicina Veterinária, foi professor e reitor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

Eis a íntegra do discurso:

Gostaria de fazer uma breve comunicação antes do início desta sessão.

Cheguei à Presidência desta Casa há cerca de dois meses de forma inesperada e não desejada. Estávamos vivendo um momento difícil para o Brasil. A minha postura desde o início foi exercer a interinidade com honestidade e honradez.

Procurei em todos os atos que pratiquei seguir estritamente o regimento da Casa – mesmo aquele que se refere ao processo de cassação de mandato parlamentar.
Minha motivação como Presidente interino, independentemente das minhas convicções pessoais, foi permitir o amplo direito de defesa, para garantir o processo legal. Fiz cumprir mais uma vez o regimento interno.
Sou um homem de origem simples e humilde. Sou o filho mais velho de uma família de oito irmãos e pais semianalfabetos. Mesmo assim, a custo de muita luta e suor, consegui me formar em medicina veterinária e fazer um mestrado na prestigiosa UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais.
De volta à minha querida terra, o Maranhão, me tornei professor e depois coordenador do curso de Medicina Veterinária. Tive o meu trabalho reconhecido, o que me levou a ser Reitor.
No entanto, pronto para o combate, esqueci algumas coisas que não eram permitidas esquecer: eu sou e venho do Maranhão. Venho de um Estado que pesa pouco na balança da política nacional. 

Todos sabem o quanto custou a um maranhense ser Presidente do Brasil.
Nestes poucos meses, aprendi anos. Acertei e errei como qualquer um, mas não vou aqui ficar lamentando o passado. Tenho certeza que algumas decisões vão mudar o nosso país para melhor. O resto é página virada.
A História não trás respostas prontas e imediatas a questões do momento. A História não se faz de momentos e agora, mas de documentos e memória. Saberei esperar o julgamento frio dos dias que virão.
Desde o início tive a consciência de que o importante é o Brasil sair desta crise, em que há milhões de desempregados e um futuro incerto. Nós podemos e temos a obrigação de ajudar a mudar esta realidade.
Quero desejar ao próximo Presidente sucesso e votos para que possa exercer a função na sua plenitude e com olhar voltado para o futuro.
Deixo esta Presidência sem mágoas e rancores e com a consciência limpa e tranquila. Continuarei no exercício da Vice-Presidência prestando lealdade ao meu Estado e ao nosso país. O Maranhão, assim como o Brasil, está destinado ao sucesso. O Brasil é maior do que todos nós, e o seu destino será glorioso se cada um fizer a sua parte.
Obrigado.

Nenhum comentário: