10 de ago de 2016

João Alberto muda de voto e ajuda a aumentar o número de senadores que são a favor do afastamento de Dilma

Dos quatro senadores que, na madrugada desta quarta-feira (10), mudaram de voto sobre o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, na comparação com o posicionamento de 12 de maio, quando o projeto da Câmara foi acatado pelo Senado, um deles é do Maranhão, João Alberto de Souza (PMDB), que era contrário e agora manifesta-se a favor do afastamento definitivo da petista. Além de João Alberto (foto), os outros dois senadores maranhenses - Edison Lobão (PMDB) e Roberto Rocha (PSB) - também votaram SIM.

Na votação de maio, 54 senadores haviam votado pela admissibilidade do impeachment e nesta quarta-feira passaram a ser 59 os que acham que ela deva ser julgada pelos crimes levantados pelos advogados Hélio Bicudo, Janaína Paschoal e Miguel Realy Júnior. Dos outros três que mudaram de posição, um é o ex-ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB-AM), que havia optado pela abstenção e agora apareceu para votar contra a presidente, pois diz não poder ser contra o seu partido neste momento. 

Assim como ele, outro peemedebista de peso que votou SIM foi Jader Barbalho, do Pará, cujo filho Helder Barbalho foi acomodado por Michel Temer no Ministério da Integração Nacional. Também ajudou a engrossar o bloco contra Dilma o senador Pedro Chaves (PSC-MS), que não votou em maio, pois ainda não havia assumido a vaga como suplente de Delcídio do Amaral, ex-petista cassado.


Nenhum comentário: