1 de ago de 2016

Sucessão da presidente Luzia Rezende na Associação Comercial do Maranhão começa a esquentar

GIRO ECONÔMICO

Enquanto os partidos políticos lutam para definir seus candidatos que vão disputar os cargos de prefeito e vereador em outubro, no meio empresarial começam a esquentar as articulações com vistas à troca de comando numa das mais tradicionais entidades do estado, a Associação Comercial do Maranhão. 

Até agora um nome está posto, o de Felipe Mussalém, que foi presidente da Associação dos Jovens Empresários (Aje-MA), mas um grupo de expressivos homens de negócios começa a se movimentar para viabilizar a candidatura de Cláudio Azevedo, presidente do Sindicato da Indústria de Ferro-Gusa do Maranhão (Sifema) e que já presidiu a Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem), por mais de uma década, e o conselho deliberativo do Sebrae-MA, por quatro anos, além de ter sido secretário estadual da Agricultura.

A eleição para definir o sucessor de Luzia Rezende (foto) está marcada para dezembro e até lá vão ser intensos os movimentos dos simpatizantes de ambas as correntes, com riscos até de interferência externa, o que não é saudável para as tradições da entidade.

Asfaltamento - Transitar pelas ruas do centro vai ficar mais fácil a partir desta semana depois que o Governo do Estado decidiu intervir com uma operação de recapeamento das principais vias. Em parte, essas obras reparam os danos deixados pela Artec, terceirizada da Caema, que fez remendos precários nas ruas onde realizou serviços para melhoria do abastecimento de água ou de coleta de esgoto, mas sem devolver a pavimentação no nível correto, deixando ondulações ou valas por onde trafegam os veículos.

Milho - O Conselho Interministerial de Estoques Públicos (Ciep) autorizou, sexta-feira (29), ampliação dos limites de compra de milho comercializado no Programa de Vendas em Balcão (PVB) da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o limite para aquisição por beneficiário cadastrado é de até 14 toneladas por mês, enquanto no Norte e no Nordeste, o limite é de até 10 toneladas por cliente. A venda direta leva em conta cotações do produto no mercado local.

Rua Grande - Os lojistas da Rua Grande aguardam com ansiedade um pronunciamento da nova presidente do Iphan, Kátia Bogéa, sobre a recuperação dessa via, obra que ela, como superintendente do órgão no Maranhão anunciou que começaria em janeiro passado.





Cláudio Azevedo (D), no registro com os presidentes da Fiema, Edilson Baldez, e da Federação das Associações Comerciais, Domingos Júnior (C), é um dos mais cotados para presidir a Associação Comercial do Maranhão a partir de 2017




Agrofeira - Pecuaristas de Bacabal e demais municípios da região Mearim se movimentam para a realização, este mês, de mais uma edição da Agrofeira, tradicional evento agropecuário criado desde a inviabilização da Expoaba, cujo parque de exposição, cedido pelo Governo do Estado em regime de comodato à Associação dos Criadores do Mearim, está em estado de abandono, enquanto os verdadeiros agropecuaristas da região veem-se forçados a se acomodar no quintal da Leilonorte para montar sua exposição.

Parques - A edição de julho da revista Maranhão Hoje, que está nas bancas, traz uma entrevista com o ministro de Meio Ambiente, Sarney Filho, que, dentre outras coisas, fala sobre a transferência de gestão que pretende fazer em dois parques nacionais no Maranhão, Chapada das Mesas e Lençóis Maranhenses. Segundo ele, o objetivo é entregar a gerência para entidades que atuam na área de meio ambiente, mas isto não significa dizer que esses patrimônios públicos estejam saindo do controle público.

Nenhum comentário: