23 de set de 2016

Eduardo Braide foi quem se saiu melhor no debate da TV Guará e Wellington do Curso o mais nervoso e inseguro

Wellington do Curso (D) foi o que mais apanhou dos demais candidatos
Nem sempre quem se sai melhor num debate ganha eleição, assim como aquele que tem péssimo desempenho perde. O exemplo disso foi a eleição presidencial de 2014, pois mesmo mostrando falhas de comunicação, de raciocínio e demonstrar insegurança diante de alguns temas específicos, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) acabou sendo reeleita, deixando para trás o melhor dos debates, Aécio Neves (PSDB), e a ex-senadora Marina Silva (à época no PSB), que também é articulada diante das câmaras.

No encontro dos candidatos a prefeito de São Luís desta quinta-feira (22), na TV Guará, se tivesse de ser escolhido o melhor, este, com certeza, seria Eduardo Braide (PMN). Seguro, preciso nas perguntas e respostas e demonstrando conhecimento nos temas abordados, foi quem conseguiu transmitir melhor suas mensagens, mas resta saber se isto se reverterá em votos para levá-lo ao segundo turno, assim como, o segundo melhor pontuado nas pesquisas, Wellington do Curso (PP), foi o que passou nais insegurança, gaguejou, parecia esquecer o tema que estava explorando etc, porém se isto representará perda de votos também não se sabe, até porque não se sabe qual foi o alcance do programa junto à população, principalmente as camadas populares.

Eduardo Braide (D) apresentou melhor desempenho no debate da Guará
Na ausência do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PP), que só irá a "debates tradicionais" da Difusora e Mirante, Wellington foi o escolhido para saco de pancadas. Apanhou de Eliziane Gama (PPS), de Fábio Câmara (PMDB) e de Eduardo Braide (PMN), o que pode ter mexido com o seu emocional, já que a primeira pergunta, dirigida por Eliziane, embora o tema fosse Educação, foi sobre as denúncias de que é devedor de IPTU, que ele negou; de Fábio Câmara ouviu que teria prometido levar o VLT para a Avenida Litorânea, que também negou; e Eduardo Braide o criticou por não ter destinado, como deputado, nenhuma emenda para Saúde e Educação da cidade, mesmo se apresentando como de origem humilde, o que ele se desculpou dizendo não merecer do governador Flávio Dino (PCdoB) tratamento igual ao dispensado a deputados da base aliada do governo, ou seja, suas emendas parlamentares não são atendidas.

Quem também mostrou desembaraço foi Rose Sales (PMB), levantou alguns temas interessandos, apesar do exagero do metrô de superfíucie e foi responsável pela acusação mais contundente, quando disse que a deputada Eliziane Gama, ao buscar apoio do PSDB, está querendo trazer João Castelo de volta à administração municipal. Fábio Câmara, apesar de desinibição, apresentou ideias genéricas, sem explicar como fazer e qual o objetivo prático de suas propostas. Eliziane também mostrou desembaraço, mas foi pouco convincente na sua pregação.

Nenhum comentário: