5 de set de 2016

Nova chefe-geral da Embrapa Cocais, agrônoma Maria Brefin, diz estar otimista com o seu trabalho no Maranhão

A engenheira agrônoma e pesquisadora Maria de Lourdes Mendonça Santos Brefin (foto) foi empossada, quinta-feira (1º) no cargo de chefe-geral da Embrapa Cocais, em São Luís-MA, para o triênio 2016-2019. Ela sucede a Valdemício Ferreira de Sousa, que chefiou esta unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, de 2010 a este ano.

Nascida no Maranhão, Maria Brefin ingressou na empresa em 1990, na Embrapa Solos, no Rio de Janeiro (RJ). Ao longo de 26 anos, adquiriu vasta experiência na área da pesquisa, liderando diversos projetos nacionais e internacionais de pesquisa. Foi supervisora de Inovação Tecnológica, coordenou o Núcleo de Apoio a Projetos (NAP) e fez parte do Comitê Técnico Interno (CTI) e do Comitê Local de Publicação (CLP).

“Estou bastante motivada para consolidar a imagem da Embrapa no Maranhão, meu estado de origem, e para ajudar a construir um novo patamar na história deste Centro Ecorregional, com base na Ciência e Tecnologia”, disse ela após assinar ato de nomeação. Segundo Brefin, o contato com atuais e novos parceiros no estado para o estabelecimento de agenda de cooperação será uma das primeiras ações de sua gestão.

A nova chefe da Embrapa Cocais coordena a Rede Brasileira de Mapeamento Digital de Solos, através do Projeto CNPq-Repensa, é membro da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo e da União Internacional de Ciência do Solo, revisora e consultora ad hoc de diversas revistas científicas nacionais e internacionais e Fundações de Fomento à Pesquisa. Também tem participado como palestrante, do Curso de Formação de Diplomatas da Fundação Alexandre Gusmão do Itamaraty e da Escola Superior de Guerra, dentre outros. 

Ela também representa a Embrapa em diversos fóruns nacionais e internacionais sobre solos e, desde sua criação em 2013, é membro do Intergovernamental Technical Panel on Soil (ITPS), designada pela 1ª Plenária Geral da Aliança Global em Solos - Global Soil Partnership (GSP), da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Nenhum comentário: