3 de set de 2016

Se quisesse o presidente Michel Temer teria dado uma carona a Flávio Dino à China, mas "golpista" foi impiedoso

É claro que se o presidente Michel Temer nutrisse alguma simpatia pelo governador que mais o chamou de "golpista" durante o processo do impeachment, e continua permitindo que seja agredido por seus auxiliares, teria encontrado uma vaga na sua caravana à China para o governador Flávio Dino (PCdoB), pois, afinal de contas, dos contratos assinados na Ásia o único que tem endereço definido e negociação iniciada é a siderúrgica de Bacabeira, mas o presidente jamais deixaria quem tanto o agride roubar esta cena.

Dá até para imaginar como será a foto do dia do lançamento da pedra fundamental deste empreendimento, quem vai estar ao lado do presidente e quem vai ficar na ponta, estrategicamente colocado para ser cortado por um perverso editor quando o fato virar notícia e ela for editada.

Por mais que alguns auxiliares do governador tenham espumado de raiva, esbravejado contra jornalistas com o vazamento da notícia sobre o pedido de carona do governador, está mais do que evidente que Sua Excelência queria estar na China, esquecendo, no entanto, que o assunto bilateral envolve dois países, portanto os presidentes são os atores principais e os demais apenas coadjuvantes.

A siderúrgica virá para o Maranhão por obra de Temer, o "golpista". Que os maranhenses aprendam a conviver com esta versão.

Este negócio é apenas a ponta do iceberg que vem por aí e vai mostrar seu gigantismo em 2018, quando a eleição presidencial e dos governadores vão se dar sem as ameaças do PT de que os adversários vão acabar com Bolsa Família, com Minha Casa Minha Vida, com Pronatec, com Fies etc, pois os eleitores verão que nada disto acabou, nem diminuiu, depois de ter saído das mãos do PT. Quem foi contra o "golpe" que se aguente, pois vem chumbo do grosso por aí.

Nenhum comentário: