14 de set de 2016

Soberba e grosserias do prefeito Edivaldo Holanda podem lhe custar caro nesta reta final da campanha eleitoral

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (foto) está cometendo um grande equívoco em seu projeto de reeleição, o que pode lhe custar caro nestes 18 dias que restam de campanha no primeiro turno: desprezar as diversas categorias da sociedade que estão organizando encontros, debates, sabatinas e outros tipos de diálogos com os candidatos a prefeito.

Confiante nos efeitos dos bandeiraços organizados por militantes e não eleitores, realizados na periferia da cidade, que passam a imagem de estar recebendo apoio popular, e não indo aos eventos da sociedade civil organizada, chega a ser indelicado, passa a imagem de prepotência, como se não quisesse assumir compromissos ou, quem sabe não seja esta a razão, não poder explicar os equívocos desses seus 3,5 anos de governo.

A continuar assim, corre o perigo de até perder no primeiro turno.

Em menos de 48 horas, Edivaldo Holanda Júnior foi indelicado com os profissionais de educação da rede municipal de ensino, com a classe empresarial e com a intelectualidade, que através dos seus órgãos de representação - Sindicato dos Professores, entidades patronais e Academia Maranhense de Letras - promoveram encontros com os pretendes a governante da cidade, e ele, grosseiramente, faltou a todos, como se dissesse que não precisa desses eventos para garantir sua recondução ao Palácio La Ravardiere, enquanto isso, seu oponente que todos os dias está na periferia da cidade e cumpre seus deveres de deputado, na Assembleia Legislativa, não falta a nenhum, e assim vai conquistando simpatia e respeito e passando uma imagem mais positiva, pois não distingue ninguém.

Wellington do Curso vai ao encontro do povo e comparece e todos eventos
Agindo asim, Edivaldo chega a lembrar o prepotente Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, que dizia estar se lixando para os outros veículos de comunicação enquanto tivesse o apoio da Rede Globo. Caiu, apesar da Globo. O mesmo faz o prefeito, pois para ele, enquanto tiver o aparato do Governo do Estado, o resto é lixo.

A pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (14) mostra que a situação do prefeito não é tão confortável como querem mostrar os institutos de pesquisa que têm cheques da prefeitura à espera de compensação, pois está tecnicamente empatado com Wellington do Curso, e perderia num eventual segundo escrutíneo, ou seja, pode até nem chegar em primeiro lugar no primeiro turno ou, o que seria mais dramático para ele, nem haver os dois turnos, bastando para isso que uma parcela do eleitorado de Eliziane Gama, Fábio Câmara, Eduardo Braide e demais opositores decida antecipar o fim da sua administração e opte pelo seu adversário.

Nenhum comentário: