15 de out de 2016

Casa de Veraneio de São Marcos vai ser transformada em abrigo para mães de crianças em tratamento de câncer

Depois de garantir que a venderia por um valor que daria para construir um hospital especializado em tratamento de câncer e que, inclusive, já teria um comprador interessado, o governador Flávio Dino (PCdoB) parece ter encontrado outro destino para a Casa de Veraneio do Governo do Estado, em São Marcos. Vai servir de casa de abrigo para mães (certamente pais também) que têm crianças submetidas a tratamento de câncer.

Esta pelo menos é a nova versão propagada pelas redes sociais por auxiliares do governador, que teria tomado esta decisão sexta-feira (14)

Ao que tudo indica, uma ampla reforma terá de ser feita no imóvel para que possa ser adaptada a essa nova destinação porque, a rigor, trata-se de uma casa que comporta apenas uma família e as dependências teriam de ser divididas para abrigar várias pessoas ou então usar os pátios internos para as novas dependências, uma espécie de pousada.

Além das modificações internas da casa, o governador terá de providenciar um serviço de transporte para essas famílias, já que fica em área de difícil acesso, sem transporte público (a menos que seja táxi), numa zona turística com hotéis, restaurantes e condomínios de luxo nos arredores, e a parada de ônibus mais próxima fica a mais de um quilômetro, na Avenida dos Holandeses, sendo que as opções são poucas, já que não há muitas linhas de ônibus para arender os bairros próximos e aos que tudo indica as mães assistidas são as que terão pacientes no Hospital Aldenora Belo, no Monte Castelo, ou Hospital Geral, na Madre de Deus. 

Certamente haveria um lugar mais adequado para atender os pais dessas crianças, com menos custos de locomoção para elas e mais facilidade de deslocamento entre essa moradia de apoio e o hospital, mas enfim...

Em agosto de 2015, numa entrevista ao jornal O Globo, o então secretário de Gestão e Previdência, Felipe Camarão, hoje secretário de Educação, declarou que até o final do ano o edital de licitação para venda do imóvel estaria pronto, mas reconheceu o imóvel estava estava em situação irregular, pois teria avançado para um terreno pertencente a uma família da linha sucessória das capitanias hereditárias. Camarão chegou a afirmar que o imóvel vale R$ 20 milhões e sua venda seria uma questão de honra do governador Flávio Dino.

Nenhum comentário: