19 de out de 2016

Em 2014, mesmo liderando todas as pesquisas, Flávio Dino não faltou a um debate na TV, e ganhou a eleição

Em 2014, Flávio Dino (C) em debate com Pedrosa (PSol) e Lobão Filho (D)
Na eleição de 2014, mesmo sendo apontado por todos os institutos de pesquisa como líder disparado nas intenções de voto para o governo do estado, Flávio Dino (PCdoB) não se ausentou de nenhum debate, mesmo contando com a simpatia de apenas duas emissoras de TV, a Guará (Record News), do empresário Roberto Albuquerque, e Cidade (Rede Record), do senador Roberto Rocha (PSB). Não recusou, portanto os convites da Difusora (SBT), que é de propriedade do seu então concorrente, Lobão Filho (PMDB); da TV Maranhense (Bandeirantes), do então deputado Manoel Ribeiro (PTB); e da Mirante (Rede Globo), de propriedade da família da então governadora Roseana Sarney (PMDB).

Garantindo sua presença em todos esses eventos, Flávio Dino ajudou a enriquecer o debate político em torno daquela eleição, pois não criou a fantasia de armações montadas por esses veículos para prejudicá-lo e acabou sendo o mais beneficiado, pois em todos saiu-se muito bem. Além disso, mostrou respeito aos adversários, às emissoras de televisão e, principalmente, ao eleitores, pois estes precisam saber o que cada pretendente a um cargo eletivo pensa, o que pretende fazer e como imagina realizar os problemas para os quais diz ter solução. A população também tem o direito de comparar as ideias quando elas confrontadas e para isto é que servem os debates.

Eduardo Braide e Edivaldo Holanda se encontram uma vez nesta campanha
Na eleição deste ano, em São Luís especialmente, apesar de todas as redes de TV com filiadas na cidade terem realizado debates nos municípios em que está presente, os espaços reservados aqui para esse tipo de programa não foram ocupados. Só para que se tenha ideia, em São Paulo houve debates na Bandeirantes, na Gazeta, no SBT, da Record, RedeTV e Globo, ou seja, foram seis oportunidades para os candidatos confrontarem suas ideias. Na capital maranhense, até agora houve apenas dois debates (Guará e Mirante) e destes o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) participou de apenas um, enquanto seu adversário, Eduardo Braide (PMN), dos dois.

Para este segundo turno foram agendados dois, um para esta quinta-feira (20), na Guará, e outro para a sexta-feira (28), na Mirante. Pelo que já deixou explícito em sua propagando no horário do TRE, no rádio e na TV, o prefeito só irá a um, o da próxima semana. A população certamente ficará frustrada com esta falta de espírito democrático de um candidato a prefeito, caso se confirme essa possibilidade, mas a democracia tem estas imperfeições.

Lamentável, mas é assim que as coisas às vezes funcionam na política. Paciência!

Um comentário:

helena nunes disse...

Vale aquele ditado " quem não deve não teme", se está tudo "bem" na gestão dele e a cidade diz avança (para o buraco) por que ele tem fugido aos debates, essa falta de respeito e consideração só que só ele acredita nele, pois para um olhar mais atento dá para perceber que embaixo da sua administração só tem areia, não tem pedra nem cimento; porque toda construção para não cair tem que está bem alicerçada, fundamentada é o que meu tio, que é pedreiro, sempre diz.