17 de out de 2016

Funcionários da Aged são obrigados a levar serviços para casa porque escritórios não têm conexão com internet

Servidores da Agência de Defesa Agropecuária (Aged) que trabalham no interior do estado estão sendo obrigados a levar serviços para casa porque alguns escritórios não dispõem de conexão com internet, o que torna inviável o uso do programa Siapec, pelo qual são registrados todos os dados de fiscalização, controle de doenças e outras ações desenvolvidas pelos fiscais do órgão, e dificulta outros tipos de comunicação.

Esta é uma das reclamações da categoria que deflagrou uma uma greve por tempo indeterminado.

Dos 217 municípios maranhenses, 198 contam com postosda Aged, mas em alguns os serviços são precários, sem equipamentos, sem pessoal suficiente, sendo alguns cedidos pelas prefeituras. Outra precariedade diz respeito à frota, que além de pequena, está envelhecida.

De acordo com a direção do sindicato, a razão principal da greve, no entanto, é o concurso que o Governo do Estado se recusa a realizar, embora tenha sido autorizado pela ex-governadora Roseana Sarney, que deixou recursos para contratação de 170 novos fiscais. O governador Flávio Dino (PCdoB), embora tenha assumido em 2014, ainda candidato, o compromisso de realizá-lo ainda não fez e as informações dão conta de que, se for realizado, será para menos de 100, com o que não concorda a direção do sindicato.

Nenhum comentário: