28 de out de 2016

Se o passado condenasse, Edivaldo e Eduardo Braide não teriam absolvição pelas ligações com Sarney e Castelo

Ex-saneísta, Eduardo Braide foi líder de Flávio Dino na Assembleia Legislativa
Sem título eleitoral no Maranhão desde 1990, quando foi obrigado a buscar refúgio político no Amapá para continuar na vida pública, já que as portas do PMDB maranhense se fecharam para ele, José Sarney continua sendo o astro em torno do qual giram os diversos planetas (e seus satélites) da política maranhense, uns contra e outros a favor, mas muitos tendo recebido sua luz por anos a fio até ganhar iluminação própria.

Nesta campanha eleitoral para definir quem governará São Luís a partir de 2017, um dos temas principais do debate é saber quem está mais ligado ao grupo do ex-senador, como se isto fosse uma mácula, mas tudo não passa de um teatro, pois ninguém neste momento quer cair na desgraça do Palácio dos Leões, hoje sob comando de Flávio Dino (PCdoB). Mas se o passado condena e os políticos se envergonham do que já foram ou fizeram, tanto Edivaldo Holanda Júnior (PDT), atual prefeito, quanto seu adversário neste segundo turno, Eduardo Braide (PMN), até pouco atrás eram aliados ferrenhos dos Sarney e os dois também tornaram-se aliados de Flávio Dino recentemente. Coisas do poder.

Peguemos como exemplo a eleição municipal de 2008, que tinha como principais adversários João Castelo (PSDB) e Flávio Dino (PCdoB). Com quem estava Edivaldo Holanda? Com quem estava Eduardo Braide? Ambos apoiavam Castelo, tanto que o primeiro foi seu defensor na Câmara Municipal e o segundo secretário de Orçamento Participativo.

Dois anos depois, isto é, em 2010, veio a eleição para governador, que tinha como principais adversários Flávio Dino (PCdoB) e Roseana Sarney (PMDB). Com quem estava Edivaldo Holanda? Com quem estava Eduardo Braide? Ambos com Roseana, contra Flávio Dino. Dois anos depois, isto é, em 2012, Edivaldo lançou um brado de independência de Castelo, ao se posicionar contra o reajuste do IPTU e caiu nas graças de Flávio, que o apoiou, com sucesso, para prefeito de São Luís, derrotando o então prefeito.

Ex-saneísta, Edivaldo Holanda foi eleito prefeito com apoio de Flávio Dino
Na eleição de 2014, o partido de Braide estava aliado com Edison Lobão Filho e Edivaldo estava com Flávio Dino, porém este, depois de vitorioso, escolheu para liderar o seu maior bloco de sustentação na Assembleia Legislativa, Eduardo Braide, e estreitou mais ainda as relações com o prefeito.
Vieram as eleições deste ano e dois ex-sarneístas agora tentam provar que são dinistas de carteirinha, um querendo ser mais que o outro. Talvez por medo da condenação do passado, querem uma vaga no purgatório.

A propósito, vale lembrar que até mesmo o PCdoB de Flávio Dino tem seu passado sarneísta, pois em 1994, contra Epitácio Cafeteira, o partido ajudou eleger Roseana Sarney e foi governo até 2006.

Não se surpreenda o (e)leitor se a partir de 2018 todo enredo precise ser refeito, pois tudo vai depender do Grupo Sarney. Se mostrar força, atrai até quem hoje o apedreja.

Nenhum comentário: