3 de out de 2016

Servidores da Aged entram em greve em protesto contra o Governo do Estado por não atender suas reivindicações

Os servidores da fiscalização agropecuária da Agencia Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA) iniciaram a semana em greve, em protesto contra o Governo do Estado, por nunca haver cumprido o acordo firmado em 2014, quando Flávio Dino (PCdoB) ainda era candidato, para realização de um concurso público para o órgão e um reajuste do auxílio-alimentação, que está congelado há cinco anos.

A mobilização está sendo realizada em frente à sede da Aged, na Avenida Castelo Branco, no São Francisco.

Em assembleia geral de 13 de agosto passado, ficou deliberado que fariam a paralisação caso as providências não fossem adotadas até 30 de setembro. Numa derradeira tentativa para evitar a paralisação, reuniram-se com na Secretaria de Gestão e Previdência (Segep) no final da semana, mas viram frustradas suas demandas.

Com a paralisação, o expediente nos postos de fiscalização e nas regionais da Agência ficam reduzidos em 70%. A inspeção de produtos de origem animal, dentro e para fora do Estado, será afetada, com prejuízo para as operações de compra e venda e fornecimento de gênero ao mercado consumidor. “Mesmo com a atuação de 30% do pessoal, conforme prevê a legislação sobre greve”, disse um diretor do Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária, que reúne os integrantes do Grupo AFA (Atividades de Fiscalização Agropecuária).

Vale lembrar que em 2014, a poucos dias da eleição, os fiscais da Aged ficarem uma greve barulhenta, que trouxe muitos prejuízos para o candidato do PMDB, Lobão Filho. À época o então candidato de oposição se comprometeu em atender todos os seus pleitos e a greve cumpriu o seu papel, mas o governo ainda não, o seu.

Nenhum comentário: