9 de nov de 2016

Deputados fazem defesa de Ilson Mateus na Assembleia Legislativa e lembram suas contribuições para o Maranhão

Ao fazer um pronunciamento sobre a polêmica investigação aberta pelo Ministério Público na Secretaria Estadual da Fazenda, onde teria ocorrido um esquema para beneficiamento de empresas com uso de crédito de precatórios (dívida reconhecida pelo Estado), o deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) saiu em defesa do empresário Ilson Mateus, presidente do Grupo Mateus, apontado pelo promotor Paulo Roberto Barbosa Ramos, autor da denúncia, como um dos beneficiados.

“Não tenho procuração de ninguém, e falo por conta própria: O Grupo Mateus hoje emprega mais de 20 mil pessoas diretamente. Paga mais de R$ 20 milhões por mês de ICMS. Tem mais de 1,3 mil representantes comerciais das indústrias que prestam assessoria a ele. Tem cerca de 2 mil promotores de vendas contratados pelos representantes. Tem cerca de 500 caminhões próprios rodando no Estado", disse o parlamentar comunista

Cutrim frisou que o empresário Ilson Mateus, por meio de sua página oficial no Facebook, garantiu que todas as operações fiscais realizadas pelo grupo com o Estado se pautam dentro da total legalidade e transparência, respeitando as legislações vigentes e os princípios éticos da empresa, que busca sempre contribuir para o desenvolvimento econômico e social. 

O deputado Sergio Frota (PSDB), em aparte ao discurso proferido pelo deputado Raimundo Cutrim, frisou também que não acredita que o Grupo Mateus, com a assessoria jurídica que possui , e com a consultoria financeira que tem, iria fazer uso indevido de uma compensação de ICMS.

“Eu acho que não podemos prejulgar ninguém e devemos é valorizar uma pessoa que investe no setor produtivo. Hoje temos uma distorção grande no Brasil de investimento no setor financeiro. Também não tenho procuração do Ilson Mateus, o conheço pessoalmente, já tive oportunidade de contar com o apoio Grupo Mateus para o futebol maranhense e é uma pessoa que trabalha de segunda a segunda pela sua empresa, gerando empregos, investindo e dando oportunidade de vida a muitas pessoas. Eu acho que isso tem que ser esclarecido, mas não podemos fazer pré-julgamento”, declarou Sergio Frota.

Nenhum comentário: