25 de jan de 2017

Governo e Prefeitura querem pagar as escolas de samba depois do carnaval e desfile deste ano pode ser cancelado

A menos que haja uma ação emergencial, o desfile das escolas de samba de São Luís poderá não ser realizado em 2017, simplesmente porque as agremiações carnavalescas ficaram aguardando até agora o patrocínio de Estado e do Município, mas a última informação é que Governo e Prefeitura só terão dinheiro depois do evento, ou seja, em março, portanto quem quiser desfilar que banque seus custos e aguarde para o segundo trimestre, ou quem sabe o fim do ano, para receber seus cachês.

Nesta terça-feira (24), foi realizada na Secretaria da Cultura mais uma reunião entre representantes dos governos estadual e municipal e das escolas de samba. Ficou acertado que o Estado dará R$ 70 mil e a Prefeitura R$ 60 mil, ou seja, cada escola receberá R$ 130 mil, mas o problema surgiu quando foi explicada a norma para liberação da verba.

Resultado de imagem para passarela do samba.são luísO Governo do Estado diz que quem bancará o desfile é a indústria Ambev, que teria exclusividade para vender seus produtos nos circuitos do carnaval, e o dinheiro será pela Lei de Incentivo à Cultura, isto é, a Secretaria da Cultura só poderá pagar depois de receber. 

Já a Prefeitura, diz que só pagará sua parte trinta dias depois da Chamada Pública, ou seja, se fosse assinada hoje, sairia na véspera do desfile.

Diante desse impasse, Turma do Quinto, Flor do Samba, Favela do Samba (as maiores) e outras escolas de samba já disseram que não vão desfilar, enquanto apenas Império do Samba e Túnel do Sacavém concordaram com as normas do governo. Para esta semana, aguardam-se novos encontro, mas os dirigentes das escolas temem que o tempo seja curto para montar um desfile, haja que faltam pouco mais de 30 dias para a apresentação.

Nenhum comentário: