14 de jan de 2017

Piso de professor da rede estadual no Maranhão é inferior em R$ 380,60 ao mínimo fixado pelo Governo Federal

Sempre que uma notícia negativa contra o Maranhão é divulgada pela Rede Globo não faltam queixas e ofensas nas redes sociais e em pronunciamentos de autoridades e outros formadores de opinião sobre o que consideram preconceito (comportamento que não exclusividade da atual gestão, já que os anteriores também agiam assim), mas quando um equívoco é cometido e isto agrada ao governo, os excessos de elogios também são registrados, como é o caso da notícia veiculada pelo Jornal Hoje, nesta sexta-feira (13), que diz estar o Maranhão entre os estados que melhor remuneram seus professores.

Até mesmo o governador Flávio Dino (PCdoB), um queixoso contumaz dos veículos de comunicação sempre que criticado, postou, nas redes sociais, comentários de elogios à emissora pelo destaque dado ao seu trabalho, e não faltaram menções de auxiliares e simpatizantes porque o Maranhão estaria pagando os professores melhor do que várias unidades da Federação: R$ 4.985,44. O problema é que de uns tempos para cá, jornalistas, sindicalistas e, principalmente, políticos deram para confundir as mentes das pessoas com ao trocaram “piso” por “teto” quando o assunto é salário, muito embora esteja bem explícito que tratam-se de mínimo e máximo, e é isto que precisa ser explicado sobre o que está ocorrendo com o magistério maranhense.

Com um piso de R$ 1.918,20, os professores maranhenses estão recebendo R$ 380,60 a menos do piso nacional fixado pelo Governo Federal, que é de R$ 2.298,80, e pelo que se pode observar já pagava menos antes mesmo do reajuste anunciado nesta terça-feira, já que este piso era de R$ 2.135,64, ou seja, já havia uma diferença de R$ 217,00. Vale destacar que pelo menos em 13 estados, o piso recebido pelos professores é maior do que se paga no Maranhão, embora apenas três estejam acima do mínimo nacional.

Quanto aos R$ 4,988 mil pagos no Maranhão, ressalta-se que este é o topo, isto é, a remuneração máxima, paga a professores de licenciatura plena, com dedicação exclusiva e jornada de 40 horas semanais (oito ao dia). Esse nível de remuneração é superado apenas pelo Distrito Federal (R$ 5.237,13) e a capital do Pará, Belém (R$ 5130,40).

Confira no mapa abaixo quanto recebem os professores nos estados brasileiros:

UF
REDE
NÍVEL MÉDIO
LICENCIATURA PLENA
CARGA HORÁRIA
CUMPRE A LEI DO PISO SALARIAL NACIONAL?
VENCIMENTO
REMUNERAÇÃO
VENCIMENTO
REMUNERAÇÃO
Acre
Estadual
1.602,73
2.010,00
2.546,08
30h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Alagoas
Estadual
1.918,17
2.837,47
40h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Amazonas
Estadual
1.344,00
1.881,14
2.965,68
20h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Manaus
1.234,00
1.664,00
20h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Amapá
Estadual
2.724,34
3.416,32
40h
Paga o piso salarial mas não paga a jornada extraclasse
Bahia
Estadual
1.980,12
2.597,52
40h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Salvador
1.836,38
3.213,31
2.454,68
3.559,28
30h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Ceará
Estadual
1.697,00
2.038,74
1.705,53
2.546,08
40h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Fortaleza
2.049,90
2.483,12
40h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Distrito Federal

SINPRO


4.028,565.237,13
40h
Paga o valor do piso salarial nacional.
Espírito Santo
Estadual
579,26
880,97
25h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Goiás
Estadual
1.929,71

2.904,45
40h
Paga o piso salarial mas não paga a jornada extraclasse
Goiânia
2.290,52
2.847,11
40h
Paga o piso salarial mas não paga a jornada extraclasse
Maranhão
Estadual
1.918,20
3.356,86
2.443,80
4.985,44
40h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Minas Gerais
Estadual
4.028,561.455,30
1.645,30
24h
Paga o valor do piso salarial dos professores.
Mato Grosso do Sul
Estadual
1.575,89
2.363,84
20h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Campo Grande
3.394,74
5.092,13
40h
Paga o valor do piso salarial dos professores.
Mato Grosso
Estadual
1.958,50
2.937,72
30h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Cuiabá
1.431,08
2044,41
20h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Pará
Estadual
2.397,22
2.936,94
1.927,60
3.962,44
40h
Paga o piso salarial mas não paga a jornada extraclasse
Belém
2.332,00
3.497,94
2.332,00
5.130,40
40h
Paga o piso salarial mas não paga a jornada extraclasse
Paraíba
Estadual
1.527,64
1.842,64
1.665,12
1.991,12
30h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Pernambuco
Estadual
1.917,78
2.137,78
1.917,78
2.137,78
40h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Jaboatão
1.916,00
2.152,80
2.145,08
2.410,20
36h
Não paga o valor do piso salarial nem a jornada extraclasse.
Cabo Sto Agostinho
1.602,00
2.402,00
1.762,20
2.463,30
30h
Proporcionalmente paga o valor do piso salarial dos professores.
Piauí
Estadual
2.221,75
2.634,65
40h
Paga o valor do piso salarial dos professores.
Teresina
2.221,75
2.634,65
40h
Paga o valor do piso salarial dos professores.
Paraná
Estadual
991,05
1.404,07
1.415,78
1.828,80
20h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Rio de Janeiro
Estadual
1.179,35
2.948,38
2.958,72
3.184,72
40h
Não paga o valor do piso salarial nacional.
Rio Grande do Norte
Estadual
R$ 1.60,20
2.402,03
30h
Proporcionalmente paga o piso salarial dos professores.
Natal
2.121,00
20h
Não paga o piso salarial nacional.
Rondônia
Estadual
1.917,78
2.146,00
2.016,00
2.497,60
40h
Não paga o piso salarial nacional.
Porto Velho
1.917,78
2.157,78
2.140,36
2.380,36
40h
Não paga o piso salarial nacional.
Roraima
Estadual
1.669,09
2.503,59
2.317,90
3.152,40
25h
Proporcionalmente paga o piso salarial dos professores.
Rio Grande do Sul
Estadual
630,10
958,89
1.165,69
20h
Não paga o valor do piso salarial nem a jornada extraclasse.
Rio Grande
1.075,95
2.151,90
1.398,74
2.797,90
20h
Proporcionalmente paga o piso salarial
Ijuí
1.067,00
1.493,80
20h
Proporcionalmente paga o piso salarial.
Canoas
2.122,85
2392,17
40h
Não paga o valor do piso salarial.
Santa Catarina
Estadual
2.397,23
2487,13
40h
Paga o piso salarial mas não paga a jornada extraclasse
São Paulo
Estadual
2.086,93
2.415,89
40h
Não paga o valor do piso salarial nem a jornada extraclasse.
Sergipe
Estadual
2.135,64
2.989,64
2.135,64
2.989,64
40h
Paga o piso salarial nacional.
Tocantins
Estadual
1.700,30
4.830,00
40h
Não paga o valor do piso salarial.
Palmas
1.825,42
1.917,78
3.358,83
40h
Não paga o valor do piso salarial.



Nenhum comentário: