27 de jan de 2017

Procon multa a Odebrecht Ambiental em R$ 443 mil e consumidores da Caema pedem mesmo rigor com estatal

Odebrecht foi multado pelo Procon por fornecer água de péssima qualidade
O Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) anunciou nesta sexta-feira (27) que aplicou uma multa de R$ 443,5 mil na Odebrecht Ambiental por fornecer água imprópria para o consumo nos municípios de Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa, onde opera. A empresa tem o prazo de dez dias para recorrer ou efetuar o pagamento.

Segundo o Procon, a Odebrecht Ambiental vem sendo investigada desde 2016, após ter recebido denúncias de consumidores quanto à qualidade da água. Testes feitos pela Vigilância Sanitária no início do ano passado confirmaram a presença de coliformes na água fornecida para algumas regiões de São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar, como no bairro Paranã.

Caema deixa esgotos estourados poluir a cidade e as praias
A notícia animou os moradores de São Luís e de outros municípios onde os serviços de água e esgoto são prestados pela Companhia de Saneamento Ambiental (Caema), pois, certamente, o órgão, para manter sua imparcialidade na defesa do consumidor manterá com a estatal o mesmo rigor que vem adotando com a empresa privada. 

Este blog publicou nesta quinta-feira um exemplo dos serviços da empresa do governo: um esgoto estourado na Ponta d´Areia, em frente ao Hotel Brisamar, e todos os dias em programas de rádio são inúmeras as reclamações por falta de água ou fornecimento de água imprópria para o consumo. Vale ressaltar que a Caema é uma das campeãs de condenação na Justiça, numa prova de que não respeita seus clientes.

Nenhum comentário: