5 de jan de 2017

Quase metade da população carcerária maranhense é de presos provisórios, diz presidente do Tribunal de Justiça

Cleones Cunha (E) em reunião com presidente do Supremo em reunião de Manaus
Ao participar nesta quinta-feira (05), em Manaus (AM), da reunião de emergência convocada pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, o desembargador Cleones Cunha, presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, apresentou números preocupantes sobre a população carcerária maranhense, pois quase metade dela é formada por presos provisórios, ou seja, ainda a espera de julgamento dos crimes que lhes são imputados.

De acordo com os números da Unidade de Monitoramento Carcerário do TJMA, no estado há um total de 12.082 presos. Desses, 4.124 estão em unidades prisionais da capital; 3.727 em unidades do interior; 276 em instituições da Associação de Proteção e Assistência de Condenados (APAC) e 1.130 em delegacias de polícia, além de 2.825 no regime aberto. Sobre a situação desses prisioneiros, 5.007 são provisórios (a espera de julgamento ou prisão preventiva) e 7.075 definitivos, já em cumprimento de pena.

“Sabemos que a situação é complicada. Aqui no Maranhão, nesses dois últimos anos a situação é estável e estamos melhores que se compararmos com os Estados do Amazonas e Pará, que são os maiores da região Norte”, comentou o desembargador Cleones Cunha.

Nenhum comentário: