4 de jan de 2017

Valor bruto da produção agropecuária foi superior a R$ 523 bilhões em 2016, mas inferior ao de 2015

GIRO ECONÔMICO

O valor bruto da produção agropecuária em 2016 foi de R$ 523,6 bilhões, cerca de R$ 10 bilhões a menos do que o registrado em 1015, que foi de R$ 533, 1 bilhões, mas mesmo assim registrou o segundo maior valor bruto da história no País, apesar da seca, fator climático que é o principal fator do declínio. A banana teve o maior crescimento do, 48,2%, seguida do feijão, que cresceu 5,6%; do trigo, da batata, do café, da maçã e da soja. Já na pecuária, o maior crescimento foi do frango (3,4%) e de ovos (3%). 

A maior queda foi do tomate (-49%), vindo em seguida a mamona (-41,4%) e o fumo (-29%). Também tiveram queda no crescimento o cacau, a uva, o amendoim, o algodão e o arroz. Para a proteína animal, a queda foi de 11,6% para a carne suína e 4,7% para a bovina e 8,1% para o leite.

Para o comentarista de agronegócio da Rádio Jovem Pan e conselheiro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) José Carlos Tejon, o agronegócio segurou a economia brasileira no pior ano da história econômica dos últimos 50 anos. 

Cartão BNB - Empresas do Nordeste e norte de Minas Gerais e Espírito Santo financiaram, em 2016, mais de R$ 205 milhões com o Cartão BNB, que financia compra de mercadorias para estoque, matéria-prima e insumos em até 36 meses, além de máquinas, veículos e equipamentos em até 72 meses. O produto atende micro, pequenas, médias e grandes empresas dos setores industrial, comercial, de prestação de serviços, rurais e turismo, com benefício de 15% de desconto sobre juros do FNE para pagamentos em dia.

Siderúrgicas - A Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) realizou em Açailândia vistorias para observar o cumprimento dos requisitos estabelecidos no decreto estadual nº 29.669 de 2013 sobre gestão dos recursos hídricos utilizados nas indústrias de ferro-gusa. A equipe também visitou a comunidade do Pequiá para constatar denúncias de impactos ao meio ambiente e à saúde das pessoas que vivem no entorno das siderúrgicas. O resultado das inspeções ainda não foi divulgado.

Administração - O Conselho Regional de Administração empossa nesta quarta-feira (04), às 17H, os conselheiros que vão renovar 2/3 do colegiado e em seguida vão eleger a nova diretoria, podendo as candidaturas serem apresentadas na assembleia.










Luzia Rezende passa nesta quarta-feira (04) o comando da Associação Comercial do Maranhão para Felipe Mussalém

Ensino - Estão abertas até 11 de janeiro, na Escola Sesi Anna Adelaide Bello as inscrições para a 1ª série do ensino médio do Ensino Básico Articulado com Educação Profissional (EBEP). O programa permite que o aluno frequente, ao mesmo tempo, curso técnico no Centro de Educação Profissional e Tecnológica. Os cursos técnicos são gratuitos, mas a educação básica de nível médio tem mensalidades diferenciadas: R$ 390,00 para dependentes de industriários e R$ 500,00 para a comunidade em geral.

Feriados - Estimativas da Federação do Comércio de São Paulo apontam que o comércio varejista brasileiro vai deixar de ganhar R$ 10,5 bilhões em 2017 devido aos feriados nacionais e feriadões. O montante é 2% superior ao projetado no ano passado. O setor de vestuário, tecidos e calçados deverá deixar de ganhar cerca de R$ 1,1 bilhão com os feriados e emendas de 2017, um crescimento de 23% em relação a 2016. Já os segmentos de combustíveis, joias, relógios e artigos de papelaria deixarão de ganhar R$ 3,9 bilhões.

Nenhum comentário: