9 de fev de 2017

Conab orienta extrativistas vegetais do Maranhão sobre política de preços mínimos da sociobiodiversidade

GIRO ECONÔMICO

Técnicos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) percorrerão, até junho, vários municípios do Maranhão, para orientarem extrativistas sobre as regras de acesso à Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio). As visitas tiveram início esta semana em Viana, onde a ação foi encerrada nesta quarta-feira (08). Entre os objetivos do mutirão, é a inclusão socioprodutiva de pequenos agricultores que dependem da atividade extrativa. A PGPM-Bio garante preço mínimo ao produto extrativo. 

Assim, quando o valor de mercado cai abaixo do mínimo, a Conab complementa a renda obtida. Basta, para isso, que seja comprovada a venda da produção por preço inferior ao mínimo fixado pelo governo federal. As reuniões promovidas pela Conab também são uma possibilidade da Companhia mapear tais dificuldades e buscar soluções inclusive junto aos órgãos parceiros.

Os encontros obedecem o seguinte calendário: Viana (06 a 08), Zé Doca (13 a 15), Coroatá (08 a 08/03), Pedreiras (20 a 22), Bacabal (03 a 05/04), Viana (17 a 19/04), Pedreiras (02 a 04/05), Presidente Dutra (29 a 31/05) e Pedreiras (12 a 14).

Extrativistas - O Maranhão é o estado que registra maior acesso de extrativistas vegetais à Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio), segundo informação da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No ano passado, o valor repassado aos beneficiários que venderam seus produtos chegou ao volume de R$ 3,7 milhões em subvenções pela venda 2,8 mil toneladas de amêndoa de babaçu - o equivalente a 67% de todos os recursos pagos em todo o país.

Superintendente - Será empossado nesta quinta-feira (09) pela manhã o novo superintendente regional do Banco da Amazônia no Maranhão, Gilberto Pires, que exerceu o cargo de gerente em municípios de diversos estados da área de abrangência da instituição financeira. A cerimônia será no Palácio dos Leões, no mesmo ato em que o presidente Marivaldo Gonçalves de Melo assina convênio de parcerias com o Governo do Estado e anuncia os principais investimentos previstos para o exercício deste ano.

Hotelaria - Depois de desativar Bellagio e Number One, a BHG agenda o fechamento de mais um hotel São Luís: o Soft Inn, alegando o problema que mais afeta o setor de turismo: falta de hóspedes, já que os turistas estão cada vez mais distantes do estado.





O superintendente do Banco do Brasil, Ingo Kobarg (E) com os presidentes das federações das Assciações Comerciais (Faem), Domingos Júnior; da Agricultura (Faema), Raimundo Coelho; e do Comércio (Fecomércio), Marcelino Ramos (interino)


Habitacional - Um problema de sucessão de propriedade do imóvel resultou na suspensão das obras de construção do Habitacional José Chagas, no bairro da Ilhinha, para onde seriam transferidas 252 famílias de baixa renda que hoje habitam palafitas e moradias precárias, a exemplo do que foi feito pelo ex-governador Jackson Lago, nos bairros da Camboa e Liberdade. Quem reclama parte do terreno é Francisco Jorge de Oliveira Boueres, apesar de o Governo do Estado alegar que também é dono do imóvel.

Latan - Vai ficar difícil para a população de Imperatriz sair da cidade pelo transporte aéreo, depois do anúncio da Latan de cancelar os voos JJ 3572 (Brasília/Imperatriz) e JJ 3573 (Imperatriz/Brasília), ou seja, para se chegar a um dos dois destinos será necessário embarcar num voo de conexão que pode transformar a viagem de 45 minutos em até um dia, de aeroporto em aeroporto. Da tribuna da Assembleia, os deputados Marcos Aurélio (PCdoB) e Wellington do Curso (PP) protestaram, mas ficaram apenas os gritos.

Nenhum comentário: