9 de fev de 2017

Governo do Estado não paga o Mais Produção e técnicos ameaçam abandonar assistência a produtores rurais

Técnicos foram treinados pela Uema, mas não   estão recebendo seus salários
Um dos mais badalados programas do Governo do Estado, no setor rural, o Mais Produção, está ameaçado de ser paralisado, a partir de março, se o Governo do Estado não providenciar, até o final deste mês, o pagamento dos salários dos técnicos contratados para executar os serviços de assistência técnica e gerencial para mais de mil produtores rurais em diversas regiões do Estado. 

O programa foi conveniado, pela Secretaria de Agricultura e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), porém o Estado não vem fazendo os repasses para pagamento dos técnicos, que completam no final de fevereiro três meses de remunerações vencidas. Os treinamentos de capacitação foram executados pela Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

De acordo com um dos técnicos que trabalham no Mais Produção, o programa começou a ser executado em outubro do ano passado. No mês de dezembro, antes do Réveillon, depois de muitas ameaças, foram pagas as remunerações de outubro e novembro, sendo que do Governo do Estado foi repassado apenas os valores de outubro, ou seja, os de novembro teriam sido arcado com recursos do órgão terceirizado, no caso o Senar. Estão em aberto, portanto, os meses de dezembro e janeiro e tudo indica que fevereiro também irá ficar em aberto. 

Esta semana, os técnicos mandaram avisar que vão abandonar os trabalhos se os pagamentos não forem colocados em dia até 28 de fevereiro.

Para execução desse trabalho foram contratado oitenta técnicos, com salário em torno de R$ 4 mil, o que corresponde a uma despesa mensal acima de R$ 300 mil. A promessa do Governo com o Mais Produção era beneficiar 1.550 produtores com assistência em manejo e gestão. 

Nenhum comentário: